Todos os Direitos Reservados

Este site é protegido pela Lei dos Direitos Autorais (Lei nº 9610) e toda e qualquer reprodução, parcial ou total, de um texto de minha autoria sem autorização está terminantemente proibida! Portanto, usem suas próprias cabeças para escrever no seu site, ok?! Ou sejam humildes e peçam autorização. Obrigada

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Brinquedos Essenciais para os Cães - Parte II

No texto anterior mostramos a filosofia da KONG Company’s para dar ao cão uma variedade de brinquedos. As variedades recomendadas foram inseridas em cinco categorias de brinquedos: De Enriquecimento; Interativos; Self-Ativos ou Divertimento; Conforto e; Clássico KONG.

Para nossos cães, como as crianças, a educação é crítica para o desenvolvimento social e intelectual. A variedade de “coisas” educativas (brinquedos, treino de obediência etc) é tão importante quanto a freqüência e duração da educação para criar um cão fácil de conduzir e ajustado ao meio em que vive. Neste segmento, daremos ênfase aos benefícios comportamentais e psicológicos de cada categoria de brinquedos.

1. Brinquedos de Enriquecimento
Estes brinquedos proporcionam importantes oportunidades educacionais e de solução de problemas para o cão. Pense nestes brinquedos como “alto aprendizado canino”. Usando uma variedade de brinquedos de enriquecimento o cão eventualmente obterá sua graduação em solução de problemas.

Como dito na matéria passada, a maioria destes brinquedos estimulam a ativa solução de problemas através do reforço positivo. O reforço positivo, neste caso é a liberação aleatória de petiscos como recompensa. O cão precisa conhecer os mecanismos ou movimentos específicos necessários para liberar os petiscos do brinquedo. Este processo, repetido várias e várias vezes, com uma variedade de brinquedos de enriquecimento, tornarão o cão cada vez mais esperto.

Estes brinquedos também proporcionam atividades divertidas, ajudando a manter o cão ocupado durante o dia. Prevenir o tédio é uma das melhores maneira de prevenir o desenvolvimento de maus comportamentos. Basta que você recheie estes brinquedos com os petiscos favoritos do cão para que a diversão comece. Para manter o brinquedo sempre interessante, recheie-o com diferentes petiscos ou receitas. No site (http://www.kongcompany.com/) existem receitas (em inglês).
(No próximo post colocarei algumas receitas (testadas e aprovadas) para se rechear o kong).

Um cão educado e apto a aceitar desafios é um cão bem comportado e bem ajustado ao meio em que vive.

2. Brinquedos Interativos
São qualquer brinquedo destinado a ser usado por você e seu cão, juntos. Bolinhas, cordas, frisbees, são perfeitos para jogos interativos, como busca (retrieve) e cabo de guerra.

Através de jogos interativos e treinos de obediência você pode efetivamente reforçar sua “liderança” na matilha. O uso destes brinquedos ajudam a fortalecer a hierarquia da matilha, sendo você como líder, e tornam o laço entre você e seu cão mais forte.

Junto com as sugestões básicas descritas abaixo, a brincadeira interativa ficará sob controle e evitará brincadeiras agressivas:

a) Utilize comandos de obediência básica durante as brincadeiras, por exemplo: “larga” (ou “solta”, “dá”), “senta”, “fica” e “vem”.
b) Você decide quando a brincadeira começa e quando termina.
c) Os brinquedos deverão ser guardados fora do alcance do cão depois das brincadeiras, para mantê-los especiais e evitar que sejam destruídos.

As brincadeiras interativas também proporcionam um ótimo exercício para você e seu cão, assim como uma oportunidade de gastar energia.

Um cão exercitado é um cão satisfeito e relaxado.

3. Brinquedos "Self-Active" ou de Divertimento
Nós não estamos sempre disponíveis para brincar com os cães 24 horas por dia. Por isso que desenvolver brincadeiras independentes e self-ativas é tão importante. Proporcionar uma boa seleção de brinquedos seguros e divertidos é a maneira perfeita de ativar e garantir brincadeiras, mantendo o cão ocupado e longe de problemas.

Importante: quando introduzir um novo brinquedo, e antes de deixar o cão sozinho com ele, você deve supervisionar o cão brincando até que você tenha certeza absoluta que o brinquedo é seguro. Divirta-se também e mostre ao cão a maneira correta de brincar. Já que o brinquedo é novo, o cão pode não fazer a menor idéia de como usá-lo. Assim que ele entender para que serve e como usar o brinquedo, é mais provável que brinque com ele quando estiver sozinho.

Estes brinquedos podem ser qualquer um no qual o cão possa brincar sem persuasão. Como dito acima, você deve ter certeza absoluta que o brinquedo é seguro antes de deixar o cão sozinho com ele.

Além de proporcionar um meio de brincar e eliminar o tédio, estes brinquedos também agem como um importante desencorajador no desenvolvimento de maus comportamentos ou hábitos, como cavoucar, latidos excessivos e roer objetos. Se o cão não tiver os brinquedos desta categoria disponíveis, ele pode decidir brincar com suas plantas, mastigar seus sapatos ou fazer belo buracos no jardim.

Um cão ocupado é um cão bem comportado.

4. Brinquedos de Conforto
Pode ser definido como qualquer brinquedo que tenha um efeito calmante e redutor de estresse no cão. Geralmente é um brinquedo macio ou de pelúcia. Eles têm uma textura suave e retém o cheiro depois do cão ter brincado ou dormido com eles. Mas, para alguns cães, pode ser uma bola favorita ou um brinquedo de borracha que acalme e conforte.

Eles têm várias funções. Podem agir como um “cobertor de segurança” ou um brinquedo divertido para brincadeiras dentro de casa. Agem como redutor de estresse e proporcionam uma influência calma. Muitos cães amam ter um brinquedo familiar onde dorme, seja numa caixa de transporte ou casa de cachorro. Também reduzem o estresse de viagens e são bons substitutos quando você precisar deixar seu cão em um hotel.

Certifique-se de que os brinquedos são seguros e sempre supervisione seu cão quando estiver com eles. Lembre: para a maioria dos cães, estes são brinquedos temporários. Compre novos quando os antigos estiverem destruídos. De qualquer forma, a supervisão do dono é sempre recomendada.

Um cão livre de estressa é um cão feliz e relaxado.

5. KONG Clássico
Este está em uma categoria própria. Além de preencher as definições das outras quatro categorias, têm atributos e benefícios comportamentais únicos. Há trinta anos os maiores adestradores e comportamentalistas o recomendam e elogiam suas habilidades como ferramenta de adestramento e de modificar comportamento.

Este brinquedo tem ajudado milhões de cães (e donos de cães) a tratar vários problemas de comportamento, que incluem: roer objetos, ansiedade de separação, latidos excessivos, cavoucar e tédio. Quando qualquer destes problemas podem ser curados, os potenciais benefícios serão maiores que a eliminação do problema em si.

Por exemplo, quando você dá ao cão um KONG cheio de petiscos para eliminar a solidão e o tédio, você está, de fato, mudando o foco da emoção do seu cão para o brinquedo, sem ser negativo. Quando este método é repetido, o estado emocional do cão e o tempo que ele passa sozinho serão substituídos com a experiência positiva do KONG cheio de petiscos realçado pelo tempo recompensador que passará tentando comer os petiscos de dentro dele. Com o tempo, a solidão e o tédio serão reduzidos ou eliminados completamente.

Junto com a redução ou eliminação do problema comportamental, neste caso a solidão e o tédio, você pode de fato prevenir uma séria de comportamentos secundários associados. Os comportamentos secundários mais comuns da solidão e do tédio incluem: roer objetos, andar de lá para cá, uivar, latidos excessivos e cavoucar. Este exemplo serve para ilustrar como a redução ou eliminação de uma série de problemas de comportamento pode alcançar maiores benefícios.

Um cão que tem um KONG é um cão sortudo.

Se o seu cão não responde ao tratamento com o KONG, procure um veterinário, adestrador ou comportamentalista.
Fotos: Suzie, Whippet, 3 anos.

terça-feira, 22 de abril de 2008

Brinquedos Essenciais para os Cães - Parte I






Petiscos e brinquedos são o presente perfeito. Como benefício adicional, brinquedos novos mantém o cão entretido e ocupado. É fundamental haver tipos diferentes de brinquedos para seu cão. Uma variedade cuidadosamente selecionada é mais do que extravagância, são fundamentais para o bem-estar e a saúde de seu cão. Os brinquedos podem preencher e melhorar as necessidades intelectuais, físicas e emocionais do cão.

Cães com acesso à uma variedade de brinquedos são menos propensos a roer os brinquedos das crianças ou outros objetos proibidos. Os brinquedos ajudam o cão a desenvolver e criar seu aprendizado e habilidades cognitivas. Mais importante: eles reduzem o tédio e o estresse, duas causas do mau comportamento.

Os cães são inteligentes. Como crianças eles também precisam de estímulo e educação para crescer emocional e intelectualmente. Quanto mais ensinamos os cães, mais eles aprendem e mais espertos ficam. Ensiná-los os comandos básicos e boas maneiras é de extrema importância. Além do treinamento e de atenção, os brinquedos têm um papel importante na educação canina. Brinquedos diferentes preenchem diferentes necessidades dos cães. Alguns brinquedos são designados para brincadeiras interativas entre você e ele; outros são feitos para entretê-lo enquanto está sozinho. Antes de ir às compras, faça um inventário dos brinquedos que você já tem e compare-os com os Cinco Brinquedos Caninos Essenciais (abaixo).

Se o seu cão já tiver um brinquedos de cada categoria, alguns poucos mais irão aumentar as oportunidades de brincadeiras e educação. Lebre: a variedade é o tempero da vida e fundamental para uma boa educação.

1. Brinquedos de Enriquecimento
Adestradores e comportamentalistas geralmente se referem aos brinquedos desta categoria como “Enriquecedores”, “de Desenvolvimento” ou “Cognitivos”. Também são conhecidos como “Quebra-Cabeças” ou “Despensa de Petiscos”. Na maioria das vezes, estes brinquedos guardam petiscos dentro deles, como recompensa.

O conceito básico destes brinquedos é: solução de problemas e reforço positivo. Estes brinquedos encorajam e recompensam a brincadeira, pois vão soltando petiscos enquanto o cão brinca com eles. Este reforço positivo, aleatório, mantém o cão entretido física e mentalmente. Também é muito divertido ver o cão brincando.

2. Brinquedos Interativos
Estes brinquedos estreitam os laços entre você e seu cão. Seu cão amará passar o tempo com você. Brincadeiras como “pega e traz”, “cabo-de-guerra” e “frisbee” irão manter o foco do cão nesta tarefa. Um foco mais apurado e laços mais estreitos entre vocês dois ajudam a melhorar as futuras sessões de adestramento.

Brincadeiras interativas são um grande exercício para você e seu cão e são uma maneira de gastar a energia do cão. Um cão bem exercitado é um cão satisfeito e bem educado. Para filhotes e cães não adestrados, repetidas brincadeiras interativas também ajudam a reforçar o lugar que o cão ocupa na matilha humana e ajudam a desenvolver habilidades sociais apropriadas.

3. Brinquedos Self-Ativos ou De Divertimento
Os brinquedos desta categoria são feitos para ativar e ocupar a atenção do cão sem a sua participação ativa. Você ainda terá que supervisionar a brincadeira até que você tenha certeza absoluta que os brinquedos são seguros.

Brincadeiras self-ativas e independentes são muito importantes. Você não está disponível para brincar com o cão a toda hora, então ele precisa se divertir sozinho de tempos em tempos. Uma boa seleção de brinquedos seguros são a maneira perfeita de começar a brincadeira. Um cão brincalhão é um cão feliz.

Alguns brinquedos desta categoria fazem barulho para atrair o cão. Aperte o brinquedos uma vez e o cão logo brincará com ele. Dica: bolas de tênis não são duráveis como brinquedos de borracha, além do mais, o barulho encoraja o cão a roer o brinquedo. Assim sendo, sempre supervisione as brincadeiras do seu cão.

Outros bons exemplos de brinquedos deste tipo são os de diferentes texturas e os que fazem movimentos erráticos.

4. Brinquedos de Conforto
Brinquedos macios ou de pelúcia são ótimos brinquedos de conforto. Eles têm várias funções. Podem agir como um “cobertor de segurança” ou um brinquedo divertido para dentro de casa. Ambos reduzem o estresse e acalmam. Muitos cães amam ter um brinquedo macio conhecido no lugar onde dormem.

Adicione barulho e a história muda. Brinquedos macios que fazem barulho se tornam um brinquedo de conforto / divertimento ativo. O barulhinho desperta o instinto de caça da maioria dos cães, que começam a morder a “presa”. Traduzindo: destrua o brinquedo! Certifique-se de que o brinquedo é seguro e atóxico. Sempre supervisione quando seu cão brinca com este tipo de brinquedo. Lembre-se: para a maioria dos cães, brinquedos macios são temporários. Troque-os periodicamente.

Importante: estes brinquedos não são apropriados para todos os cães. Não são recomendados para cães que tendem a engolir objetos. Em qualquer caso, a supervisão do dono é sempre recomendada.

5. KONG Clássico
O KONG Clássico está em uma categoria própria e preenche todas as quatro categorias acima. Os maiores adestradores e comportamentalistas recomendam o KONG Clássico há trinta anos.

Seu buraco central foi feito para ser preenchido com os petiscos favoritos do cão, tornando o brinquedos um quebra-cabeças enriquecedor. O cão adora esvaziar o KONG.

Sua durabilidade e saltos e rodopios imprevisíveis o tornam perfeito para brincadeiras interativas (pega e traz (fetch)). Também funciona como brinquedo divertido e confortador para o cão. Simplesmente encha-o com alimentos saudáveis (ração) ou petiscos e dê-o para o cão antes de você sair de casa. O KONG recheado manterá seu cão ocupado e reduzirá o estresse de ser deixado sozinho. Também cria uma atividade calma para o cão quando chegam visitas à sua casa.

Este brinquedo versátil se tornou uma ferramenta de adestramento para tratar inúmeros problemas de comportamento caninos, incluindo: estresse e tédio; roer objetos; ansiedade de separação, ajuda no crate training, latidos excessivos e cavoucar. E o melhor de tudo: o KONG clássico é só diversão!

Dicas Adicionais:




Faça rodízio com os brinquedos do cão, deixando apenas alguns poucos disponíveis de cada vez.




Mantenha uma variedade de tipos acessível. Se o seu cão tem um brinquedo favorito, que você sabe que ele não destrói, pode deixá-lo com ele sempre.

Brinquedos enriquecedores podem ser usados diariamente. Para que esses brinquedos sejam sempre especiais e atrativos, retire-os assim que o cão o tiver esvaziado. Guarde estes brinquedos em locais fora do alcance do cão quando não estiverem sendo usados.

Brinquedos interativos devem ser usados apenas com você e seu cão. Nunca deixe brinquedos interativos acessíveis para ele brincar sozinho. Você é o líder da matilha. Você decide quando é hora de brincar com o cão.

Tenha uma variedade de brinquedos para brincar dentro e fora de casa.

Tenha brinquedos adequados para o tamanho do seu cão. Tamanho, raça e temperamento devem ser cuidadosamente considerados.

Para filhotes, escolha brinquedos seguros e próprios para filhotes. Sempre troque os brinquedos pequenos pelos de tamanhos maiores conforme seu cão cresça.

Os idosos também se beneficiam com os brinquedos e brincadeiras. Textura e consistência apropriada é importante para dentes e mandíbulas mais velhos. Brinquedos próprios para cães idosos e de conforto são os ideais. Brinquedos de enriquecimento que soltam petiscos são também uma ótima escolha.

Fonte: http://www.kongcompany.com

domingo, 13 de abril de 2008

Níveis: 26. Zen

Chegamos ao último capítulo do livro. Espero que todos tenham se divertido com seus cães e gostado dos textos.
Abraços da Equipe do Canto dos Bichos!

NÍVEL UM
O cão deve ficar longe do petisco na mão do dono por 5 segundos. Pode haver apenas um comando de voz, que deve ser dado antes de apresentar a mão.

DISCUSSÃO:
“Zen” é tão importante quanto a base da civilização. Significa “auto-controle”. Um cão não treinado é um cão sem controle. Ele quer comida; come, esteja a comida no chão, na mesa, nas mãos de uma criança. Ele quer cumprimentar alguém, cumprimenta, seja precisando puxar o dono ou não, a pessoa querendo ou não ser cumprimentada, quer a pessoa esteja do outro lado de uma rua movimentada ou não. Um dono não treinado tenta controlar o cão – para mantê-lo longe da mesa ou da criança, ele diz para o cão se afastar usando a guia, segurando-o perto de pessoas e fisicamente mantendo-o longe da rua.

Um cão treinado entende que para conseguir o que quer precisa se controlar, e um dono treinado sabe que o verdadeiro controle de um animal deve vir do próprio animal, não do dono.

O cão treinado vê uma pessoa com comida e senta, porque cães educados recebem recompensa. Ele cumprimenta as pessoas com as quatro patas no chão porque assim ganha carinho. Mantém a guia frouxa porque a guia tensa nunca vai na direção que ele quer ir. Vem quando chamado porque o que o dono tem para ele é sempre melhor do que ele acharia sozinho.

O que tudo isso tem a ver com “Zen”? Simplesmente que o modo para pegar comida da mão do dono é ficar longe dela. Quando mais o cão quer a comida, mais ele terá que fingir não querê-la.
O legal do Zen é que uma vez que o cão tenha aprendido o bastante, ele começa a aplicar os princípios do auto-controle na vida toda. Ele pratica a “guia Zen” mantendo-a frouxa, “chão Zen” ignorando o petisco no chão e “mesa Zen” ao sentar e desejar que a comida saia da mesa ao invés de pular e pegá-la.

COMEÇANDO:
A maneira mais fácil de ensinar o Zen ao cão é fazer pouco. Mostre um petisco ao cão, e depois cubra-o com sua mão, deixando-o protegido. Nenhuma parte do petisco deve estar disponível. Coloque sua mão na frente do cão, na altura da boca. Note que você fica com o punho fechado para proteger o petisco. Este deverá ser o primeiro comando do cão. Este comando diz “Fique longe de minha mão.”. Depois você pode mudar o comando se quiser, adicione uma palavra que signifique a mesma coisa, ou mude a aparência e posição de sua mão, mas por enquanto, sua mão estará sempre fechada ao ensinar o Zen ao cão.

Tentar proteger o petisco segurando-o acima da cabeça do cão ou tirando-o do alcance dele quando ele se aproxima, são erros comuns. Segurar no alto encorajará o cão a pular para pegar e tirar do alcance fará com que ele tente abocanhar. Você já protege o petisco com o punho fechado. Deixe o Zen fazer seu trabalho. Deixe o cão descobrir como fazer para ganhar o petisco.
Cutucar com as patas, morder e lamber não funciona. Se seu cão passa um tempão trabalhando na sua mão, tentando pegar o petisco, ótimo! Imagine quanto entusiasmo e vigor ele usa para conseguir o que quer! Uma vez que você explique o que funcionará, ele o fará. Se cheirar brevemente sua mão e logo perder o interesse, ótimo! Sua explicação será curta e fácil.

Mas como ele consegue o petisco da sua mão? Ele tira o focinho de perto dela! Sim, isto é tudo que ele deve fazer, se cansar de cutucar sua mão e tirar o focinho de perto. E se ele realmente sair de perto? E se ele nem lamber? E se ele se afastar por acidente? E daí? Há apenas uma questão – ele afastou o focinho da sua mão? Se sim, clique e abra-a para o petisco cair no chão.
Isso mesmo, deixe-o cair no chão. Não dê na boca. Você pode ensinar-lhe o Zen dando o petisco na boca, mas a explicação geralmente é menor e mais clara quando você deixa-o cair no chão. “Não toque minha mão, agora coma dela” pode confundir o cão.

Mantenha o petisco a salvo do cão até que ele se afaste de sua mão, clique quando ele se afastar e deixe o petisco cair. Espere pelo momento mágico quando ele perceber como fazer para ganhar o petisco.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ELE ESTÁ ME MACHUCANDO!
Se ele realmente lhe machuca com a boca ou patas, há muitas opções. Você pode usar luvas ou proteger o petisco com uma xícara de plástico ao invés da mão nua. Você pode jogar o petisco no chão entre seus pés (calçados), seus sapatos protegerão. Você pode tirar sua mão do alcance dele por um momento, então oferecê-la novamente quando o cão estiver com as quatro patas no chão. Se tentar este, lembre de levar o petisco bem fora de alcance, não apenas o bastante para fazê-lo pular. Se ele ficar muito entusiasmado nas tentativas de pegar o petisco, pode gritar AI! e dar um tapinha (muito de leve!) no focinho para desencorajá-lo. No adestramento, o mais importante é sua imaginação. Defina seu problema (preciso impedir que ele me machuque enquanto ensino o Zen). Então, descubra como você conseguirá o que precisa.

QUANDO DEIXO CAIR O PETISCO, ELE NÃO CONSEGUE ACHÁ-LO! Se o cão não sabe que o petisco sai da sua mão depois do clique, dê-lhe algumas dicas até que ele comece a perceber a comida caindo. Faça um movimento dramático quando deixar cair o petisco no chão, ao invés de apenas abrir sua mão. Trabalhe com a ração ou outros petiscos duros, em um piso onde ele os ouça cair. Use petiscos maiores para facilitar o cão achá-los. Use sua imaginação! Isto é comum em filhotes e cães com pouca experiência em achar petiscos no chão.

ELE BATE NA MINHA MÃO E SE AFASTA! Esta é uma pequena cadeia simples que os cães descobrem. Muitos cães percebem que o comportamento necessário é a) bater na mão, b) se afastar da mão e c) ganhar o clique e o petisco. Infelizmente, não queremos ensinar esta cadeia. Apenas queremos que o cão aprenda a se afastar de nossa mão para ganhar o C/T, sem antes bater. Se você perceber que ele tem que tocar sua mão antes de se afastar dela, você pode tirar sua mão do alcance dele quando ele tentar tocá-la, então clicar assim que ele recuar. Ou você pode clicar assim que ele for na direção da sua mão, antes que ele a toque. Este pequeno mal entendido nos mostra muito sobre adestramento. Mostra o quão maravilho é o cão e como o adestramento com clicker pode ser rápido. Nos mostra o cão aprendendo uma cadeia composta por diferentes comportamentos. Mostra quão fácil é ensinar coisas que você não quer que o cão aprenda se você não prestar atenção. E mostra quão fácil é recuperar coisas (comportamentos) quando notamos o erro.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Decida qual palavra é mais fácil para você quando pensa em manter o cão longe de algo. Um comando comum é “Deixa”. “Não” pode ser usado, mas a maioria das pessoas têm o péssimo hábito de gritar “Não!” para o cão quando ele se chacoalha depois do banho, quando persegue gatos, quando late demais e quando suja o tapete. O que queremos de um comando é uma informação clara sobre o que o cão deve fazer.

CONTINUANDO A EDUCAR:
É legal ensinar Zen a cães de raças grandes com donos que acham que o cão não é esperto o bastante. Em poucos minutos, este cão “estúpido” consegue sentar a 1,5m de distância da mesa e olhar para um delicioso pedaço de carne deixado por lá de bobeira. Assim que os donos vêem que a culpa cai nas explicações e não no cão, podemos começar um relacionamento real.

Quando o cão ficar longe de sua mão na maioria das vezes para ganhar o clique, você perceberá que para ele “ficar distante” está ficando mais difícil, mais rápido e mais longo. Escolha uma resposta e a molde em algo melhor. Se você escolher trabalhar em distância, por exemplo, descubra o quão longe ele geralmente se afasta da sua mão (digamos, 15cm). Clique para respostas a 15cm e mais longes que estas. Não clique para distâncias menores. Em pouco tempo você verá que a distância habitual aumentou para 17,5cm, então clique para 17,5cm ou mais, e não clique para distâncias menores.

Faça o mesmo para tempo. Uma regra boa é “Dez vezes certo, uma vez errada”. Se você clica por 3 segundos de acerto seguidos, você pode tentar esperar por 4 segundos uma vez. Se o cão errar, bem, você tentou e não deu certo. Clique outras 10x para 3 segundos, e tente os 4s de novo. Se não funcionar, mais 10x para 3s. Se funcionar, continue clicando para 4s até que você obtenha 10 acertos. Quando você obtiver 10 acertos seguidos aos 4s, tente esperar 5s.

Quando você tem uma distância e tempo descentes, use uma mesa. Mostre o petisco para o cão, coloque o petisco na mesa e cubra-o com sua mão. Se você achar que será fácil, se enganou. Ficar longe da sua mão não é o mesmo que ficar longe da mesa. Basicamente, você explicará o Zen de novo, do começo. Talvez seja bem rápido. Talvez o cão volte ao começo e tente cavar, para tirar o petisco de debaixo de sua mão. Os dois são atitudes normais.

Petisco na mesa, coberto pela mão. O cão não consegue pegá-lo pelos métodos normais. Cedo ou tarde, por acidente ou não, o focinho dele se afastará da sua mão na mesa. Clique jogue o petisco no chão. No chão, porque você não quer clicar e deixar o cão comer o petisco na mesa!

Quando ele fez a associação (ah, Mesa Zen! Entendi!), viva perigosamente. Tire a mão de perto do petisco. Claro, quando você fizer isso, ele irá tentar pegar o petisco, então esteja preparado para cobri-lo de novo. Então, assim que ele se afastar, afaste sua mão de novo. Clique e jogue o petisco no chão quando ele estiver longe dele. Construa seu tempo e distância até que você possa se afastar do petisco com segurança, deixando o petisco totalmente disponível na mesa. Quando você pode se afastar e deixar o petisco sozinho, com o cão se mantendo à distância e esperando você clicar e jogar o petisco da mesa, adicione o comando ao colocar o petisco na mesa. Use um tom de voz amável, baixo porque é assim que você falará com seu cão. Além do mais, isto torna o controle mais impressionante quando você simplesmente pede por ele, ao invés de gritar e ameaçar.

NÍVEL DOIS
O cão fica longe do petisco na mão do dono por 5 segundos e no sofá ou cadeira por 10 segundos. Não mais que dois comandos para cada comportamento, o dono não pode proteger o petisco para mantê-lo a salvo. A intenção é apresentar o petisco no nível do focinho.

DISCUSSÃO:
Mão Zen, por si só, é bom para evitar que o cão pegue seus biscoitos de sua mão, mas a glória é como ele se aplica na vida do cão. Neste Nível vamos trabalhar em expandir a idéia não-pegue-comida da sua mão para o sofá (ou cadeira, mesa de centro, mesa, depende do tamanho do seu cão) e aumentar a quantidade de tempo que ele consegue se controlar.

COMEÇANDO:
Estamos construindo o início de uma cadeia de comportamentos. Ele já tem a primeira parte (ficar longe da mão por 5s). Agora, esqueça isso um pouco. Precisamos ensiná-lo o Sofá Zen. Pegue o petisco na sua mão Zen e coloque-o no sofá. Cubra-o com a mão aberta. Como antes, deixe-o lamber, cutucar com o focinho etc. Quando ele afastar o focinho, clique e jogue o petisco no chão. Assim damos a mesma explicação clara do Zen ao jogarmos o petisco, como no Nível Um.

Quando ele conseguir ficar longe do petisco debaixo de sua mão por cinco segundos, devagar descubra-o. Se ele for para cima, não responda de outro modo a não ser cobrindo-o de volta, para o cão não pegá-lo. Fique com sua mão sobre ele por mais alguns segundos, e descubra-o lentamente de novo. Quando ele não for para cima, clique e jogue o petisco no chão. Trabalhe até 15 segundos com o petisco descoberto na mesa.

Agora volte para 8 segundos, e mova sua mão um pouco para longe do petisco. Sente um pouco. Mostre que confia no cão (seja verdade ou não – na verdade, você não está deixando o petisco desprotegido, você apenas está de olho e, caso ele tente pegá-lo, cubra com sua mão). Quando você conseguir se sentar com as mãos no colo por 15 segundos, você pode seguir em frente.
Agora volte para o plano Mão Zen, e trabalhe até os 15 segundos.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ELE ESTÁ ARRANHANDO MINHA MESA DE CENTRO!
Ok, não coloque mais o petisco aí. Segure-o na sua mão Zen. Faça o mão Zen logo acima da superfície da mesa. Quando ele entender, coloque sua mão Zen na mesa de centro. Quando ele entender, tente colocar o petisco na mesa com seu punho fechado cobrindo-o. Quando ele entender, abra o punho fechado. Se você gosta muito da mesa, use uma cadeira de plástico ou um bloco de madeira para explicar este comportamento – algo que ele não possa “machucar”.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Quando você muda o que pede para o cão, você deixa de usar o comando. Quando ele estiver bom no novo comportamento, adicione-o de novo.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Você tem uma Mão Zen de 10 segundos, e um Sofá Zen de 15 segundos. Agora você está pronto para uni-los. Faça 10 segundos de mão Zen 5x, então 15 segundos de sofá Zen 5x. Depois, 5s de sofá Zen com 1s de mão Zen sobre o sofá. Depois, 5s de sofá Zen com 2s de mão Zen e assim por diante. Se ele tiver problemas com qualquer parte desta cadeia, divida-a. Se, por exemplo, ele pular para pegar o petisco quando você o coloca no sofá, não trabalhe-o com a mão Zen primeiro. Se você tem problema com o sofá Zen, trabalhe no sofá Zen até que ele entenda. Aí coloque este comportamento de volta na cadeia de mão Zen-sofá Zen. Trabalhe até seus 5s mão e 10s sofá Zen. Veja que toda vez que tornamos uma parte mais difícil, facilitamos a outra.

NÍVEL TRÊS
O cão fica longe do petisco na mão de um estranho por 20s, 1 comando apenas. O estranho não atrai o cão, mas não aparenta proteger o petisco. Não é do interesse de ninguém permitir que o cão pegue o petisco.

DISCUSSÃO:
Uma coisa é o cão se controlar com você. Outra coisa é ele saber que não pode pegar comida de estranhos, crianças e outros cães. Deixe a mão do estranho trabalhar!

COMEÇANDO:
Duas partes para este Nível – duração e petisco na mão do estranho. Duração é o mesmo que todos os outros comportamentos de duração no Nível Três. Você teve um bom começo, continue trabalhando as 300 Repetições para o Zen – ele fica longe da sua mão por 10 segundos, clique. 11s, clique, 12s, clique. Neste ponto, se tudo estiver indo bem, você pode aumentar em 2 segundos a contagem. Quando chegar aos 20 segundos, poderá aumentar 5 segundos por vez. Como você vai mudar algo drástico no comportamento – colocará o petisco na mão de um estranho ao invés da sua – você deverá diminuir suas expectativas em parte. Obtenha a duração até 30 ou 40 segundos antes de pedir que alguém lhe ajude, assim você pode diminuir seu critério facilmente para um ou dois segundos.

Se você tem um amigo, deixe-o ser o estranho – neste caso, o estranho significa “não é você”. Fale com a pessoa primeiro. Explique exatamente o que quer que ele faça, até pratique fingindo que sua mão é o cão, para que ele entenda. Quando você coloca o cão na situação, pare de usar o comando e deixe o cão descobrir o comportamento de novo. Zen é um comportamento que o cão entende facilmente, seu amigo pode ser capaz de ter uma duração de 5s para 30s, aumentando a contagem em 5s, mas fique esperto e diminua o aumento de tempo se o cão começar a falar. Se o estranho (ou amigo) consegue o comportamento até 30s, ache um estranho. Tenha em mente que um estranho para o cão não precisa ser um estranho para você.

Releia a introdução. A parte chamada “João Bobo” descreve um jogo que pode ser jogado com pessoas que ensinam ao cão o estranho Zen.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
NÃO TENHO AMIGOS QUE GOSTAM DE CÃES!
Tudo bem. Se você for a um parque e sentar num banco, cedo ou tarde alguém aparecerá querendo fazer carinho no seu cão. “Claro! Mas eu tenho algo ainda melhor. Você se importaria de me ajudar a ensinar ao meu cão uma coisa? Seria de grande ajuda!”.

ADICIONANDO UM COMANDO:
É um ótimo comportamento. Seu cão não consegue prestar atenção quando passa por pessoas. Simplesmente diga-lhe que aquelas pessoas não lhe darão nada – comando Zen. Ele vê uma ave morta na calçada – comando Zen. Como é um ótimo comportamento, você não quer enfraquecer o comando, então, certifique-se de usá-lo quando você tem total controle da situação. Não adianta gritar “DEIXA, DEIXA, DEIXAAA!” enquanto seu cão come a ave morta.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Consiga o maior número de pessoas possível para brincar de estranho Zen com você, e varie o tipo de pessoas também: crianças, adultos, homens altos, mulheres baixas, pessoas de outras culturas, usando turbantes, uniformes. Se seu cão é pouco tímido, trabalhe rapidamente até o ponto onde você tem um bom controle do Zen, então você conseguirá fazer o cão se afastar das pessoas quando você quiser, e então comece a se concentrar em dizer ao cão que aquelas pessoas são realmente divertidas e interessantes. Veja que, diferente de uma correção por não prestar atenção, o estranho Zen não diz ao cão que olhar um estranho significa que ele será machucado, apenas lhe diz “aquele cara não tem nada pra você hoje”.

NÍVEL QUATRO
O cão deve ficar longe do petisco no chão por 30s, 2 comandos apenas. O petisco é mostrado ao cão, comandos dados, petisco colocado no chão, é permitido ao cão se aproximar do petisco em 30cm.

DISCUSSÃO:
Até as pessoas aprenderem o chão Zen, elas geralmente se aborrecem com a idéia de deixar o cão pegar petiscos do chão. Estamos dizendo às pessoas para jogar comida no chão! Agora, acabou a preocupação.

COMEÇANDO:
É o plano Zen, mas com o comida no chão. Nada de mais, cubra-a com seu pé ao invés da mão. Atenção – tire seus sapatos e meia! Se você fizer isto com sapatos, esmagará a ração ou sujará todo o piso e o seu sapato.

Mostre o petisco para o cão. Trabalhe o mão Zen 5x, para começar. Então, como se fosse fazer o 6º mão Zen, coloque o outro petisco no chão e cubra-o com o pé. Se ele cavar, OK, só certifique-se que o petisco está protegido e ele não conseguirá pegá-lo. Deixe-o cheirar, lamber, mordiscar. Nada. Quando ele começar a perder interesse, clique, tire o pé de cima do petisco e jogue-o para o cão. Igual você fazia no mesa Zen, como quem diz que ele pode comer, mas não no lugar onde está, temos que mudar de lugar primeiro. Depois, você pode continuar assim ou adicionar um comando ou liberar o cão, para dizer que o petisco está disponível. De qualquer jeito, não se pode mais pegar comida do chão.

Quando ele não estiver mais cutucando seu pé para pegar o petisco, comece a deixá-lo ver o petisco. Levante levemente o pé, para ele dar uma espiada. Quando ele for pra cima, cubra-o. “Ah, você não pode pega-lo, você ouviu um clique? Acho que não!”. Quando ele se afastar, levante seu pé de novo. Quando ele conseguir ficar longe enquanto ainda conseguir ver o petisco, clique e jogue-o para o cão. É o mesmo comportamento que abrir a mão no mão Zen.
Finalmente, comece sua contagem das 300 Repetições para o Zen – ele pode ficar longe do petisco por 1s? Clique. 2s? Clique. 3s? Clique.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
QUERO BRINCAR DISTO, MAS ASSIM QUE NAO O DEIXO COMER, ELE VAI EMBORA!
Você está esperando demais. Entre olhar para o petisco e ir embora, há um momento onde você deve clicar e deixá-lo comer o petisco. Vise a decisão. Se você clica a decisão do cão, você conseguiu. É como: “Nossa, um petisco!”. “Ah, (CLIQUE), não consegui pegá-lo, acho que vou procurar minha bolinha.”.

ELE EMPURRA MEU PÉ! Cachorro esperto! Bom, brinque de chão Zen com uma xícara de ponta cabeça sobre o petisco. Ou brinque com o petisco numa fenda na calçada onde ele nunca conseguirá pegá-lo e você terá que ter um segundo petisco para a recompensa. Ou seja, descubra algum jeito de proteger o petisco no chão sem controlar o cão.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Naturalmente você para de usar o comando quando muda do mão Zen para o chão Zen. Quando você confiar que ele não irá empurrar seu pé, pode recomeçar a usar o comando.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Provavelmente você verá que conforme ele fica longe do petisco, ele se afastará ainda mais dele. Então, você adiciona distância ao seu critério, você não clica, a menos que ele se afaste pelo menos 15cm, 25cm etc. Neste ponto você pode começar a “perseguir” com o petisco– comande para não tocar, então coloque-o bem na frente do focinho do cão e clique quando ele virar a cabeça para evitar o petisco. Logo você será capaz de fingir perseguir o cão com o petisco, e ele evitando-o – um truque impressionante!

NÍVEL CINCO
O cão fica longe do petisco no chão enquanto caminha com a guia frouxa. Comandos apropriados.

DISCUSSÃO:
Os filhotes, principalmente, podem ter dificuldade em entender que eles podem pensar no Zen e andar ao mesmo tempo, mas isto lhe traz o Zen para a vida real – sair para passear e não ter o seu cão pegando qualquer porcaria que encontrar!

NÍVEL SEIS
O cão fica longe de cinco petiscos no chão durante o Recall (chamado, vem). Comandos apropriados.

DISCUSSÃO:
Não é um passo grande para o cão, já que nós realmente não usamos a guia para ensinar-lhe o Zen. É um grande passo para o adestrador, que tende a pensar que o único controle real que ele tem sobre o cão é a guia. Lembre-se: não se trata do seu controle, mas sim do auto-controle do seu cão!

Tradução: Fúlvia Zepilho de Andrade
Fonte: www.dragonflyllama.com

Níveis: 25. Olha

NÍVEL DOIS
O cão encontra o rosto do dono e mantém contato visual por 10 segundos com não mais que dois comandos de voz. Sem linguagem corporal ou toque, ao não ser olhar pro cão.

DISCUSSÃO:
Você pode treinar um cão para fazer qualquer coisa sem ele precisar olhar para você, mas uma vez que você tenha trabalhado com um cão que olha para você, você não quer mais outra coisa.

COMEÇANDO:
Primeiro você precisa que o cão olhe nos seus olhos. Provavelmente será apenas de relance. Clique! Se seu cão for pequeno ou filhote, sente no chão ou fique no nível dele. Faça barulhos estranhos com a boca. Mão Zen freqüentemente dá um belo olhar do cão. Faça qualquer coisa para fazê-lo olhar em seus olhos, mas não coloque o petisco na sua mão e depois perto dos olhos! Isto fará com que o cão olhe para o petisco perto de seus olhos. Aí, você clicará milhares de vezes para o cão olhar o petisco. Você não quer recompensar este comportamento. Dar petiscos rapidamente geralmente resulta em um olhar quando você para.

Obtenha o comportamento. Apenas um relance no começo, mas se prepare para isso. Se você pensar “Aí está, tenho que clicar!” será muito tarde. Você cometerá erros, porque os olhos do cão são mais rápidos que sua mão, mas não desista. Clique o relance 20x e peça mais. Alguns cães começam a olhar nos olhos bem rápido. Para estes, você simplesmente espera 1 “olhada” de 1 segundo, depois 2 segundos, 3 e assim por diante.

Para aqueles que decidem apenas olhar de relance, trabalhe nisto 20x, então peça para dois relances antes de clicar. Recompense dois relances 20x e você pode começar e obter olhares mais longos.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ELE OLHA PARA OUTROS CÃES (OU PESSOAS)!
Comece em um lugar livre de distrações. O banheiro (trabalhar no banheiro lhe dá vários momentos de solidão!), o quarto – tire outros cães e pessoas do lugar. Você trabalhará com distrações, mas não comece assim.

ELE SÓ OLHA PARA MINHA MÃO! Bem, ele entender a parte do “olhar”, agora você deve transferir isto para seus olhos. Sente e deixe-o olhar sua mão. E olhar, e olhar. Mantenha sua mão absolutamente quieta. Cedo ou tarde, ele reagirá “Ei, você morreu? Estou olhando sua mão! Cadê meu petisco?’, o que acompanhará ele olhar para você ao invés de sua mão. Clique!
Outro jeito de contornar este problema é esconder suas mãos nas costas. Se o cão seguir suas mãos, sente em um canto, assim ele não conseguirá. Fique feliz – quando você transferir a atenção do cão das suas mãos para seus olhos com sucesso, ele estará muito bem em olhar em seus olhos.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Adicione um comando (Olhe!) quando você obtiver ao menos 10 segundos de contato visual sólido.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Assim que ele pegar a idéia de manter contato para ganhar o clique, você pode aumentar o tempo. Conte 1/clique. 1-2-3/clique, e assim por diante. Quando ele errar, volte para o um segundo. Observe seu critério. Você quer contato visual total. Se ele desviar o olhar, comece de novo.

Aumente o tempo em que ele mantém contato e comece a adicionar distrações. A primeira é apenas mover os dedos. Faça isso quando você tiver certeza que o cão entendeu que está sendo recompensado por fazer contato visual. Quando ele olhar sua mão mexendo com o canto dos olhos, ele desviou o olhar. Continue movendo e não faça nada. Logo ele se lembrará do jogo e olhará para você. Clique! Depois, abra a mão perto dele, feche-a se ele for pegar o petisco (mão Zen) e espere pelo contato visual. Se você estiver sentado, fique de pé (lembre-se de tornar o tempo mais fácil quando dificultar a distância). Trabalhe em diferentes cômodos e com diferentes distrações.

A primeira coisa que faço em qualquer situação nova é sentar e começar a trabalhar o contato visual. Fazendo isso, lembro o cão de muitas coisas que quero que ele saiba: a) ele pode trabalhar em lugares novos, b) ele não está sozinho. Estou com ele. Ele pode ficar comigo e estaremos seguros juntos, c) ele deve me oferecer o que quero antes dele ganhar o que quer, mesmo em novos lugares maravilhosos. Isto é muito importante para um cão entusiasmado. Ele não pode chegar no lugar e levar uma hora para cheirar e ver tudo antes de voltar pra mim. Eu PRIMEIRO. Ou obtenho atenção ou não brincamos aqui de jeito nenhum.

NÍVEL TRÊS
O cão acha o rosto do dono e mantém contato visual por 30 segundos com quantos comandos de voz forem necessários. Desviar um pouco o olhar é aceitável, mas se for mais prolongado, não.

DISCUSSÃO:
Não treine para esse “desviar um pouco o olhar”, é apenas para o teste! 30 segundos é um tempo longo para um cão de Nível 3 manter contato, então não se frustre. Sugiro que comece este comportamento perto do começo do Nível e trabalhe-o bastante. Teste os outros comportamentos. Este provavelmente levará mais tempo para obter. Enquanto você ensina duração no contato visual, você também ensina duração em muitas outras áreas – quanto tempo ele consegue segurar um halter, por exemplo, todos os Fica e como permanecer no Frente sem começar a dançar.

COMEÇANDO:
Não há armadilha neste comportamento. Só requer que coloque tempo e não ficar frustrado. Você se esforçou bastante ensinando seu cão a oferecer comportamentos para ganhar um clique. Se ele aprendeu, ele tem como padrão oferecer comportamentos, e este padrão é o que torna tão frustrante tentar trabalhar duração. Como tudo o que fazemos com o cão, isto requer equilíbrio (um Senta padrão deve estar equilibrado com um Deita e Parado, um “fique perto de mim” padrão deve estar equilibrado com ser capaz de trabalhar à distância, auto-controle deve estar equilibrado com entusiasmo). Você chegou a 10 segundos no Nível 2 – é um bom começo. Você encontrará um pouco de dificuldade aqui. Ele pode ir até 18 segundos sem nenhum problema, então demorar duas semanas para chegar aos 19 segundos, daí ir até os 26 segundos sem problemas e levar mais 4 dias para passar disto. Sem problema. Apenas continue usando as 300 Repetições.

Vamos rever as 300 Repetições. Você obteve contato e é sólido por até 10 segundos. Comece contar dos 5 segundos (diminua o tempo para reforçar a idéia). Clique para 5 segundos de contato. Conte até 6 e clique. Conte até 7 e clique. Conte até 8 e clique. Conte até 9 e clique. Conte até 10 e clique. Você voltou para onde tinha parado (10 segundos), mas continue. Conte até 11 e clique. Conte até 12 e clique, e assim por diante. Assim que o cão desviar o olhar, comece de novo, dos 5 segundos e vá aumentando o tempo (ou comece com 1 segundo, se achar mais fácil para o cão).

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ELE ESTAVA FAZENDO 18 SEGUNDOS, AGORA NÃO SAI DOS 8!
Ocasionalmente ao ensinarmos um comportamento de duração, o cão parece estacionar por um tempo. Você tinha conseguido 18 segundos quando ele desviou o olhar. Você voltou para os 5 segundos, depois 6, 7 e ele desviou o olhar de novo. Por que? Se conseguia os 10 segundos muito bem, e você chegou até os 15 segundos, agora, de repente, ele não consegue nem chegar aos 10 segundos! A resposta é: quem sabe o que se passa na cabeça do cão? Acontece. Trabalhe isso. Trabalhando com isso, o comportamento ficará mais forte do que era antes e o cão mais confiante em oferecer o contato para você.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Você tem um comando para Olha por 10 segundos, mas quando começou a chegar aos 30 segundos, parou de usá-lo. Quando obter o contato por 30 segundos, use-o de novo por um tempo.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Trabalhe até 30 segundos de contato visual em qualquer cômodo da casa, no carro, na rua, no quintal – qualquer lugar. Se seu cão tem um brinquedo favorito, coloque-o no chão e trabalhe brinquedo Zen com contato visual até 30 segundos, então deixe o cão pegar o brinquedo. Brinque com ele – olhar para você por 30 segundos ao invés de pegar o brinquedo merece uma boa brincadeira!

NÍVEL QUATRO
O cão mantém contato por 30 segundos a 3m, 2 comandos, ou um estranho se aproxima, guia frouxa ou tensa, mantém contato visual/ na mão por 20 segundos a 1,5m. o “juiz” pode fazer pequenos movimentos.

DISCUSSÃO:
Manter contato enquanto obtém distância não deve ser um grande problema. Se você está no caminho certo, este Nível é só uma questão de praticar o tão importante contato visual. No ringue de exposição pedimos ao cão que se aproxime do “juiz”. Você escolhe se quer ensinar o cão a olhar para o rosto do juiz ou para a mão.

COMEÇANDO:
Você já tem 30 segundos ou mais de contato visual enquanto trabalhava a duração no SentaFica e DeitaFica. Espero que tenha notado! Para praticar especificamente o contato visual, não o junte com o Fica. Se você está trabalhando no SentaFica com contato visual e ele quebra o Senta mas continua olhando para você, o que você fará? Amarre a guia dele em algo sólido ou coloque-o atrás de um portãozinho para trabalhar o contato visual sem se preocupar em como obter ou manter distância.

Comece com 10 segundos na sua frente, e aumente o tempo até chegar nos 30 segundos.
Então diminua o tempo para nada e comece a se afastar do cão. Use as 300 Repetições para distância – um passo, clique; dois passos, clique; três passos, clique, e assim por diante. Quando o cão falhar – desviar o olhar – recomece a contagem no 1 na frente dele.

Quando você obteve os desejados 3m, volte para 1m e 5 segundos e aumente seu tempo para 30 segundos de novo. Então, se distancie 1,8m e 5 segundos, aumentando o tempo até 30 segundos. Finalmente, se distancie os 3m e comece a contagem dos 5 segundos, indo até os 30 segundos.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
CLICO QUANDO TERMINAR DE CONTAR? OU QUANDO VOLTO PARA O CÃO?
Quando terminar de contar. Lembre que você não está trabalhando no Fica, mas sim em contato visual à distância. Você se concentra no contato visual e na distância, não se o cão está no Fica, então clique quando o contato, tempo e distância alcançarem seus critérios. Lembre que o clique termina o comportamento, então assim que você clicar, ele não precisa mais olhar para você.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Quando você adiciona distrações, não se esqueça de diminuir tanto a distância quanto o tempo. Use uma pequena distração a uma certa distância, e comece a contagem de novo cada vez que o cão desviar o olhar.

NÍVEL CINCO
O cão mantém contato por 30 segundos, o dono não olha o cão, comandos apropriados, OU o cão fica parado com contato por 30 segundos.

DISCUSSÃO:
Uma mudança interessante na rotina do contato visual. O cão olha para você, mas você não olha pra ele. Você precisa de um espelho para isso, para poder ver o que ele está fazendo. Por que você quer que o cão lhe olhe quando você não olha pra ele? Por uma razão; este é o Junto, certo? Você olha por onde anda e o cão olha pra você. Também é o Fica – você se afasta do cão e ele lhe olha, pronto para manter contato visual quando você voltar. E contrapõe uma tendência em muitos cães de pensar que se você olha para eles, você pensa neles, mas se você não olha pra eles, acabou-se.

NÍVEL SEIS
O cão mantém contato por 30 segundos, um comando apenas. Este comportamento deve ser executado sem comida ou clicker por perto.

DISCUSSÃO:
Voltamos a um comportamento que deve ser fácil agora, mas sem comida.

NÍVEL SETE
O cão mantém contato por 15 segundos, apenas um comando, o dono não olha o cão. Este comportamento deve ser executado sem comida ou clicker por perto.

DISCUSSÃO:
Poderia ser um comportamento fácil também, mas adicionamos o “sem comida” à equação. Agora, esperamos o contato visual como comportamento padrão. É engraçado ver as pessoas dizerem que obtém um bom contato visual do cão, quando na verdade o cão ocasionalmente mantém contato por cinco ou seis segundos.

Tradução: Fúlvia Zepilho de Andrade
Fonte: http://www.dragonflyllama.com/

Níveis: 24. Truques

NÍVEL DOIS
O cão executa um truque que o dono escolhe. Deve ser bem simples.

DISCUSSÃO:
POR QUE ensinar truques? Algumas pessoas pensam que os truques são bobos, mas não concordo. Tudo o que pedimos para o cão fazer é um comportamento. Seja um truque, um exercício ou um trabalho, TUDO são truques. Truques:

a) Dar ao cão algo para fazer quando ele conhece pessoas novas. Ter algo para fazer torna o cão menos medroso e ajuda-o na concentração.

b) Dar ao dono algo para ensinar que não seja “importante”. Se você sonha em ter um cão com uma carreira excepcional nas pistas, não irá querer aprender as técnicas de adestramento enquanto trabalha o “junto” ou o “stand” (para exposições). É melhor errar no “cumprimenta” ou “dá a pata”. Se você errar, e daí?

c) Ajuda a melhorar o relacionamento. Dar ao dono e cão (e família) algo para se divertirem juntos. Existem pessoas que não deixam os filhos interagirem com seus cães de competição, o que é muito triste. Crianças E cães saem perdendo muito! Se as crianças erram no “cumprimenta”, não há problemas!

Estes Níveis são designados para ensinar ao seu cão vários truques divertidos e interessantes, e dar à você prática em todos os diferentes modos de obter um comportamento. Vamos começar!
Qualquer truque. Se seu cão brinca de cabo de guerra com você, dê um nome a isso: puxa! Se ele bate as patas no prato de comida, dê um nome: ele chuta e gol! Se você diz “Onde está a mamãe?” ele corre pra ela? Isto é um truque! Arranhar a porta? Tocar um sino? Colocar a coleira?

NÍVEL TRÊS
O cão executa um truque (através do “shaping”, ou seja, modelando) da escolha do dono.

DISCUSSÃO:
Vamos começar da maneira mais difícil de obter um comportamento. Por quê? Para que você adquira prática ao passar pelo resto dos Níveis. Você pode moldar seu cão a pegar o halter! Como eu sei? Porque você o moldou para fazer este truque. Você pode moldar qualquer truque que desejar.

COMEÇANDO:
Sente no sofá com seu clicker e os petiscos, o cão na sua frente, no chão. Não faça nada. Olhe para os pés do cão (não em seus olhos, pois é muito parecido com o “Olha”). Se você for um adestrador experiente, poderá olhar para as quatro patas de uma vez. Se não, olhe só para as duas da frente por ora. Se o cão automaticamente senta na sua frente, jogue um petisco meio longe e clique quando ele voltar para você, antes que ele sente de novo. Jogue o petisco, e clique antes de ele sentar de novo. Faça isso até que ele esqueça de se sentar e apenas fique parado na sua frente.
O cão vai tentar Olhar, mas isto não o faz ganhar um clique. Ele pode tentar outros comportamentos – se abaixar, por exemplo. Ignore, olhe para as patas dele. Cedo ou tarde ele vai ficar farto e moverá uma pata. Clique! Primeiro queremos que ele mova a pata, depois iremos falar em qual direção deve movê-la. Levantou uma pata, clique. Espere. Mexeu outra pata, clique. Na 20ª vez que você clicar por um movimento de pata, as patas da frente se tornarão bem “móveis”. Neste ponto, você pode esperar por uma pata levantada, bater duas patas no chão, mas vamos nos ater a andar para trás.

Quando ele entender que você clica quando ele move uma pata, pare de clicar os movimentos para frente. Preste atenção. Moldar é prestar atenção e observar muito! Você clicava por levanter a pata em qualquer direção. Agora não. Você conseguiu o que queria: qualquer movimento de qualquer pata. Agora queremos algo mais. A pata deve se mover para o lado ou para trás, não para frente. Fazer com que o cão entenda que não pode ir para a frente pode levar cinco ou 200 cliques. Não importa.

Quando você obtiver pelo menos 80% dos movimentos das patas sem ir para a frente, pode ir para o próximo passo. Só movimentos para trás agora, não mais para os lados. Agora fica mais complicado, porque uma pata não pode ir para trás muitas vezes sem que a outra também o faça. De alguma maneira, você irá aplicar um pouco da arte do adestramento. Se você clicar somente para os movimentos das patas da frente, ele vai mover somente estas patas, o que significa que logo ele irá sentar. Aqui você precisará olhar as patas de trás também, e clicar quando elas se moverem. Se você começou olhando apenas as patas da frente, você já tem um pouco de prática em observá-las. Viu como é bom ter ficado no sofá? É mais fácil de ver as quatro patas do que se estivesse em pé.

Daqui, é só uma questão de distância. Primeiro você clicou qualquer movimento de qualquer pata. Depois clicou qualquer movimento que não fosse para a frente. Depois, apenas movimentos para trás. Depois para dois movimentos de pata. Depois duas patas movendo para trás. Depois uma pata traseira movendo, depois a pata traseira indo para trás, três patas indo para trás, quatro patas, então dois passos, três passos... e você moldou o comportamento com sucesso!
Na verdade, andar para trás é algo que a maioria dos cães aprende bem rápido. Muitos cães aprendem a andar para trás em uma sessão.

Eu clico 5 vezes por um passo, depois 5 vezes para dois passos, 5 vezes para três passos e, se o cão errar, começo de novo: 5x para um passo, 5x para dois passos etc.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ELE ANDOU MUITO RÁPIDO E TOCOU A MESA. COMO FAÇO PARA QUE MOVA A PATA?
Você não está olhando certo. A menos que a mesa esteja logo atrás dele, ele tem que mover a pata para tocá-la. O problema é que você deve estar buscando movimentos grandes, quando você precisa ficar de olho nos pequenos movimentos. Há muitos deles que você perdeu antes dele chegar na mesa!

ELE VAI PARA TRÁS DOIS PASSOS E PARA! Em qualquer comportamento de movimento, temos a tendência de esperar para ver até onde o cão vai. Esperamos que ele dê três passos, então, deixamos que ele dê dois passos e pare, aí pensamos “Bem, acho que é o máximo que ele consegue fazer. Melhor eu clicar”. Veja a seqüência: você clica por ele dar dois passos e parar. Para comportamentos de movimento (andar para trás, vir quando chamado, junto etc) você deve clicar o movimento e não o término dele.

SEGREDO! Aqui o segredo de obter um comportamento de movimento – se você quer clicar para três passos para trás, não clique o terceiro passo. Clique o movimento que segue o terceiro passo. Se você clica o terceiro passo, você clica o fim dele, ou o não-movimento que segue o passo. Se você clicar o começo do próximo passo, você clica Um, Dois, Três, LEVANTA! – clica o movimento.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Quando o cão estiver andando para trás prontamente e se movendo até que você clique, você pode dizer como se chama o comportamento. Pode ser “Para trás” ou algo mais divertido, como “Afaste-se do biscoito!” ou “O que você faz quando vê uma cobra?” (neste caso, a palavra que você ensina é “cobra”. Uma vez que o cão responda a ela, você pode adicionar o resto da frase).

CONTINUANDO A EDUCAR:
Andar para trás é o começo do Parado, do Junto e é rápido o bastante e funciona bem. Faça-o em diferentes locais, diferentes distâncias e diferentes posições.

NÍVEL QUATRO
Cão e dono demonstram “101 Coisas Para Fazer Com Uma Caixa” ou cadeira.

DISCUSSÃO:
Muitos sugerem isto para iniciantes. Eu não. Pedir que iniciantes (dono e cão) brinquem do “101” é demais. Assusta-os. Sem um objetivo claro, tendem a entrar em pânico.
101 é para pensar. É ensinar você a ver o que o cão lhe oferece, e ensinar você a adivinhar o que virá em seguida. Ensina o cão a oferecer comportamentos, pensar o que está fazendo e quais serão os resultados, e continuar trabalhando quando não conseguir o que queria. Fique com isso e vale a pena.

COMEÇANDO:
Sente no sofá, confortável, tenha vários petiscos e um clicker. O cão na sua frente, no chão. Qual seu critério? Qualquer movimento. Não um grande, mas qualquer um. Se ele piscar, é um movimento. Respirar, movimento. Levantar a orelha. Abaixar o focinho. Abanar a cauda.

Espere um minuto – não era uma caixa? Não se preocupe, comece pequeno. Os dois devem ter sucesso. Comece com a cabeça. Clique qualquer movimento. Se mover as orelhas para um lado, clique e jogue o petisco. Observe de novo. Pegou o petisco e olhou pra você. Sem clique. Olha pra você, sem clique. Olha na direção que você jogou o petisco. Clique e jogue outro petisco. Ele pega o petisco e olha para você de novo. Você pode esperar ele oferecer mais comportamentos. Se o cão ficar estressado, confuso, clique por engolir, mastigar ou olhar para outro lado.

O que você deseja é aumentar o número de respostas do cão. Mantê-lo em movimento. Isto vai aumentar o “vigor do clicker” – ou seja, ajudará o cão a entender que parar não funciona. Ele deve perceber o que você quer naquele momento e lhe oferecer mais e mais do comportamento para ganhar o petisco. Agora, você premia por mover qualquer parte da cabeça. Se o cão lhe oferece qualquer outro comportamento, maravilha. Se não, principalmente se for um cão crossover (treinamento anterior sem uso do clicker) – você pode ter que clicar piscadas para fazer com que o cão entenda o jogo.

Ok, agora o cão se mexe, pegue uma caixa de papelão, menor que o cão. Coloque-a perto dele, sente no sofá e clique por ele virar a cabeça em direção à caixa. Olhar para a caixa, andar em direção à caixa, chegar perto da caixa. E agora? Clique qualquer coisa que ele fizer quando estiver perto da caixa. Ele pode tocá-la com o focinho – clique. Tocá-la com a pata – clique. Dar um passo em volta dela – clique. Morder ou lamber – clique. Quando ele entender, quando a razão de cliques for de um para cada dez segundos, pelo menos, pare de clicar qualquer coisa que você clicava.

Agora chegamos na parte do jogo “101”. É designado para criatividade. Há duas maneiras de brincar, dependendo do entusiasmo seu e do cão. O primeiro é clicar um comportamento por dia. Digamos que ele toque a caixa com a pata dianteira direita e você clica isso. Clique por dois minutos, retire a caixa e faça outra coisa. No dia seguinte, clique o comportamento original dez vezes. Quando ele ficar feliz de oferecer o comportamento de novo, pare de clicar por ele tocar a caixa com a pata dianteira direita. Você quer um novo comportamento, ou uma variação do original. Talvez ele bata mais forte. Clique. Talvez ele coloque as duas patas dianteiras na caixa. Pule na caixa. Morda a caixa. Qualquer coisa. Pegue o próximo comportamento que ele oferecer e clique. Quando a razão de cliques for alta de novo, remova a caixa e faça outra coisa. No outro dia, não dê mais que dez minutos de atenção para o primeiro ou segundo comportamento.

Se o cão já sabe como o jogo funciona, você pode brincar de outro jeito. Ou seja, não clique para tudo que ele lhe oferece mais que dez vezes. Tocar a caixa com a pata dianteira direita, clique 10x, e então não clique mais para isso. Ele a tocará mais umas três vezes, olhará para você como quem diz “Doido! Eu toquei! Não prestou atenção?”. Esta frustração faz com que o cão coloque as duas patas na caixa, para ter certeza que você prestou atenção. Toca a caixa com as duas patas, clique 10x e não clique mais. Gradualmente, conforme ele aprenda que sem clique significa que deve oferecer outra coisa, você pode fazer uma versão mais sofisticada do jogo, onde você não clica qualquer comportamento mais que duas vezes.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ELE NÃO FAZ NADA! COMO POSSO CLICAR?
Se o seu cão “não faz nada”, você está indo rápido demais com os comportamentos. Ele não precisa fazer grandes coisas. Considere ficar parado, olhando para você, feito estátua, seu comportamento básico. Qualquer coisa que não seja isso, é “clicável”. Por menor que seja o movimento (erguer um pouco o focinho, por exemplo), clique-o!

SE BRINCAMOS DISSO, ELE COMEÇA A PULAR QUANDO EU QUERO QUE ELE FIQUE! Ele ficará, por um minuto ou dois. Até que ele perceba que você clica quando ele fica. Não se preocupe com isso, é momentâneo. Releia as instruções para ensinar um comportamento de duração (Atenção, SentaFica, DeitaFica, ParadoFica). Um cão que oferece comportamentos quando precisa ficar é simplesmente um cão que não entendeu um comportamento de duração ainda.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Não há comando verbal para o 101. O comando é de situação. Quando há um objeto, um cão e um clicker, o cão automaticamente começa a soltar movimentos para descobrir qual deles faz clicar o clicker.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Considere os benefícios de ter um cão que tenta descobrir o que faz o clicker clicar! Cão de serviço – derrubar a guia, moldo o cão para pegá-la e dá-la a mim. Agility – qualquer obstáculo significa petiscos para o cão. É para ele pular? Subir? Andar? Passar pelo obstáculo? Obediência – o salto em distância é tão fácil de ensinar se você der o petisco para passar de um lado para outro em um dia. No outro você premia por passar de um lado para outro colocando menos que quatro patas nele. No outro, duas patas e você obtém um cão que salta o obstáculo.

Você pode brincar do 101 com qualquer objeto. Uma bicicleta, um banco, uma pessoa, uma cadeira.

NÍVEL CINCO
O cão demonstra um truque capturado.

DISCUSSÃO:
Tudo o que você precisa é de imaginação e habilidade para observar o cão! Ocasionalmente deitar com as patas cruzadas. É a Princesa. Chacoalhar, bocejar, sorrir, suspirar, todos são comportamentos capturados. A diferença entre um comportamento e um truque é como você o chama. Ensinar o cão a deitar de lado, é um comportamento para cuidar dele. O comando usado é apontar o dedo para ele e dizer “Bang!”. De repente, vira um truque.

NÍVEL SEIS
O cão executa um truque guiado.

DISCUSSÃO:
Deve ser o truque mais fácil. Ele aprendeu a seguir um alvo (objeto) no Nível 4. O que você consegue obter do cão com isso? Reverência? Gira? Recua? Círculo? Ficar em pé nas patas traseiras? Cumprimentar?

NÍVEL SETE
Uma mistura de pelo menos 3 truques, um seguido do outro para contra uma história (ex.: uma “perna quebrada”, mau comportamento, “matando” o cão, seguido do cão “morrendo”).

DISCUSSÃO:
Nem precisa ensinar um truque novo ao cão, apenas use sua imaginação para unir três truques. Vi um bem legal outro dia. O cão sabia fazer vários truques legais, seguidos pela pergunta “Quando for pra Hollywood, ficará esnobe?”, aí o cão levantava o focinho e permanecia assim.

Tradução: Fúlvia Zepilho de Andrade
Fonte: www.dragonflyllama.com

Níveis: 23. Target

NÍVEL UM
O cão deve Tocar a mão do dono deliberadamente com o focinho em apenas um comando de voz. A mão na posição é, naturalmente, o segundo e permitido comando.

DISCUSSÃO:
Ensinamos o cão a ficar longe da sua mão (Zen). Agora o ensinaremos o oposto – tocar sua mão. Existe um número infinito de coisas que você pode obter do cão se ele seguir sua mão, incluindo junto, girar, pular e subir na balança no veterinário. Também é o primeiro passo na busca.

Se o cão pula em você, cutucando para conseguir o petisco e tenta lhe derrubar, ensine o Zen primeiro. Assim, ele fica um pouco mais equilibrado e podemos conversar. Se o cão for tímido ou não está confiante o suficiente para oferecer algo, ensine o Toca primeiro. É um comportamento fácil para um cão iniciante aprender, rápido para o adestrador ensinar e dá mais confiança. Se o cão tem medo de homens, por exemplo, pode-se fazer os homens parecerem menos aterrorizantes, transformando-os de monstros a objetos que podem ser tocados. Uma vez que o cão possa manipular algo para ganhar um petisco, é difícil ter medo do objeto.

COMEÇANDO:
O primeiro comando para o Zen é o punho fechado sinalizando “Fique longe desta mão!”. Já que agora você quer que o cão se aproxime e toque sua mão, não mostre a ele o seu punho. Coloque os dedos e o dedão juntos, como se estivesse segurando um petisco. Segure o petisco imaginário para que o cão cheire. Quando ele alcançar sua mão para cheirá-la, esteja pronto e clique quando o focinho encostar em seus dedos. Dê-lhe o petisco da sua outra mão, ou jogue-o no chão. Repita. É isso!

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ELE NÃO ESTÁ INTERESSANDO EM MINHA MÃO!
Claro, se você estava trabalhando o Zen ou por qualquer outra razão ele não parece inclinado a cheirar seus dedos, ajude-o até que ele capte a idéia. A maioria dos cães irá cheirar seus dedos se você fingir comer um petisco e oferecer-lhe (humm, que gostoso! Quer um pouco?). Se ele não cair nessa, tente duas sessões de “dar o petisco rapidamente” (10 petiscos por sessão) – dar o petisco na boca dele, um por vez, o mais rápido que puder – e tente segurar seu petisco invisível de novo. Se ele ainda não cair nessa, talvez você tenha que realmente segurar um petisco entre os dedos para guiá-lo, clique quando tocá-los e dê-lhe o petisco que estava nesta mão. Não toque você o focinho dele. Deixe que ele lhe toque. Se você tocá-lo, ele não irá tocar você.

ELE ESTAVA INDO BEM, MAS PERDEU O INTERESSE. Veja suas três questões para solução de problemas. Qual o seu Critério? Simples – ele toca sua mão com o focinho. Você não pode pedir mais que isso. Deixe sua mão em frente ao focinho dele, para que o aprendizado seja mais fácil e você faça a maior quantidade possível de repetições em um curto pedaço de tempo. Clique quando ele tocar sua mão com o focinho.

Qual o nível de reforço? Se você não obtém o comportamento o suficiente, você não clica o suficiente. Se nada acontece, ele irá fazer outra coisa. Guie-o se preciso. Se livre das distrações. Pare de treinar até um pouco antes da próxima refeição dele, quando ele estará com fome e talvez mais interessado em como ganhar petiscos.

Finalmente, como está seu Timing? Se você clica meio segundo depois, você clica para o cão não tocar sua mão, porque ele a tocou, depois se distanciou e então ganhou o clique. Se o clique não marca o comportamento exato que você quer, o que ele marca? Melhor descobrir, porque é esse comportamento que você obterá no final.

ELE NÃO ESTÁ TOCANDO, ESTÁ MORDENDO! Se ele está muito entusiasmado em pegar o petisco de você, mostre a palma da mão, ao invés dos dedos. Assim ele não terá onde morder. Coloque o petisco no chão ao invés de dar-lhe na boca. Se ele pensar que deve colocar a boca na sua mão ao invés de apenas tocá-la, parabéns! Ele está a um passo da busca! Mas isso não resolve o problema de fazê-lo tocar sua mão. Apresente a palma da sua mão, é mais difícil dele usar a boca. Clique antes que ele alcance sua mão, até que ele pare de se esforçar tanto em agarrá-la. Esqueça sua mão e faça-o tocar algo maior, como um livro ou um prato, que ele não poderá morder. Ou esqueça tudo e ensine o Busca. Você pode voltar a ensinar o Toca depois!

ADICIONANDO UM COMANDO:
Comandos comuns são “Toca” ou “Bata”. Depois você pode ensiná-lo a tocar coisas com a pata. Quando você quiser um comando para tocar com o focinho, lembre que precisará de outro comando para tocar com a pata, então use o “Cutuca” depois. Quando ele toca sua mão com o focinho confiavelmente, diga-lhe o comando assim que ele fizer o contato.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Quando você tiver 10 vezes corretas de tocar com o nariz, comece a mover sua mão. Coloque-a abaixo do focinho, assim ele precisa se curvar um pouco para alcançá-la. Direita e esquerda. Coloque sua mão na frente do focinho dele quando ele estiver parado. Quando ele conseguir alcançá-la, afaste-a, assim ele precisará dar um ou dois passos para alcançar. Mais alto, mais rápido...

NÍVEL DOIS
O cão Toca a parte final marcada de um bastão com o nariz com apenas um comando de voz. Naturalmente, a apresentação do bastão é o segundo comando.

DISCUSSÃO:
Como o cão já toca sua mão, o desafio aqui é: a) trocar o comportamento para o bastão e b) fazê-lo apontar apenas isto. Uma vez que ele toque o final do bastão, você pode usá-lo como o guia para produzir comportamentos que você não conseguiria fazer com sua mão – passar por entre suas pernas, girar em círculos, pular obstáculos e subir rampas.

COMEÇANDO:
Apresente o fim do bastão ao cão. Ele pode até já tocá-lo! Se não, finja mordiscar o final dele (finja que está gostoso), então ofereça-o ao cão. Esteja pronto para clicar quando ele tocá-lo.

Se não funcionar, faça-o tocar sua mão 5x, então segure o bastão com sua “mão alvo” e gradualmente deixe o bastão sair da sua mão até que ele toque-o antes de sua mão. Clique para o toque no bastão e tire sua mão de perto para ele não tocá-la também.

Agora ele toca o bastão, e nós precisamos que ele se foque apenas no fim dele. Comece apontando o bastão para o cão de modo que ele só consiga tocar o final dele. 10x. Gradulmente comece a incliná-lo, para que ele tenha acesso ao resto dele. Certifique-se do cão estar contente. Cedo ou tarde, ele tocará outra parte do bastão. Não clique. Deixe-o descobrir. Se você o recompensar o suficiente por tocar o bastão, se você o recompensar o suficiente por tocar o final dele, ao mudar a posição do bastão bem devagar, quando ele não ganhar o clique, o próximo toque será no fim do bastão. Brinque bastante, até que você possa mostrar qualquer parte do bastão e o cão tocar apenas seu final.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ELE NÃO TOCA O BASTÃO!
Você pode passar algo nele. Apenas o suficiente para que o cão o toque, então você pode continuar clicando.

ELE DESISTE SE EU ESPERO ELE TOCAR O FINAL! Não vá ao próximo passo antes que o cão ofereça alegremente o comportamento que você deseja. Se ele está alegre ao tocar o bastão e você muda-o de posição devagar o suficiente, ele nem notará que tem oportunidade de tocar qualquer lugar a não ser o final.

Se você quer moldar para tocar o final sem tirar a chance dele tocar outro lugar do bastão, divida-o em oito seções. Primeiro, clique qualquer toque no bastão. Quando ele entender o que está fazendo, clique qualquer toque nas sete seções mais próximas ao final dele. Quando ele estiver bom, reduza para as seis mais próximas do final, depois cinco, quatro, três – até que ele toque apenas o final do bastão.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Escolha uma palavra que signifique “toque com o nariz”. Comece a usá-la quando ele toca o bastão onde e como você quer. Se você fizer um bom trabalho ensinando-o a tocar, este logo se tornará um comportamento padrão – se o bastão está lá, as chances serão do cão tocá-lo!

CONTINUANDO A EDUCAR:
Você pode fazer o cão tocar outras coisas – seu pé, a parte de trás da caixa de transporte ou qualquer coisa que você quiser. Um objeto útil é qualquer um que o cão tenha medo. Se ele tem medo de homens, ensine-o a tocar os sapatos de homens. Peça para um estranho sentar e cruzar as pernas, então peça para o cão tocar os sapatos. Tornar o estranho nada mais que um objeto a ser tocado ajuda o cão a ser mais confiante.

NÍVEL TRÊS
O cão toca um ponto no chão com o focinho ou a pata a 2,5m de distância, com não mais que dois comandos. Um comando “Olha” antes é aceitável. Comportamento opcional.

DISCUSSÃO:
Este é o comando “posição” padrão que faz os golfinhos ficarem em uma posição enquanto o adestrador fala com o público. Se você está feliz com o cão sempre usando o focinho para tocar objetos, fique assim. Cães de Serviço podem ter que tocar com seus pés – apertar botões de porta, por exemplo. Se você quiser, ensine seu cão a tocar com a pata também. Use alvos de plástico rosa, de tampas de containers. Eles são fáceis do cão ver, são diferentes do chão e da parede, e pode-se reduzi-lo com o tempo.

COMEÇANDO:
Para tocar com o focinho, primeiro faça o cão tocar sua mão 10x, apresente o alvo em sua mão, como você apresentou o bastão, e comece a obter toques. Mova o alvo para a esquerda, direita, mais alto, mais baixo. Quando você o deixar mais e mais baixo, logo o estará segurando no chão. Quando ele o tocar no nível do chão, deixe-o cair no chão e levemente tire sua mão de perto. Mova-a gradualmente usando as 300 Repetições para o Targeting – clique por ele tocar o alvo em sua mão perto do chão, clique por tocá-lo em sua mão no chão, clique por tocá-lo no chão com sua mão bem perto, clique por tocá-lo no chão com sua mão a 2cm de distância, 5cm, 7cm. Quando ele errar, volte para o começo.

Para tocar com a pata dá um pouco mais de trabalho, pois ele nunca fez isso. Comece com um alvo plástico relativamente grande e trabalhe exatamente como você começou o “Vá para a Cama”. Coloque o alvo perto de você no chão e clique quando a pata do cão acidentalmente tocá-lo. Jogue o petisco fora do alvo, para que o cão tenha a chance de voltar e tocar nele de novo. Há uma diferença entre tocar com a pata e o Vá Para a Cama – nós queremos apenas uma pata tocando o alvo, não queremos que ele sente ou deite nele, então clique apenas quando sua pata tocar nele.

Dois desafios aqui. Um é diminuir o alvo para um diâmetro de 5cm, e o outro é obter este comportamento à distância. O bom é que os cães geralmente aprendem rápido a tocar com a pata. Eles respondem às suas tentativas de obter distância se lançando no alvo, batendo nele com força com as duas patas ou dando-lhe um golpe sólido com uma pata. Estas respostas tornam tocar com a pata uma aventura! Use as 300 Repetições para obter distância, e use uma tesoura para diminuir o alvo (diâmetro) a cada dia que o cão o toca com entusiasmo.

Mova o alvo poucos centímetros para uma posição um pouco diferente a cada dez cliques – para a esquerda, a direita, mais longe de você. Quando você tiver uma boa sessão um dia, deixe o alvo no chão para que você não precisa manejá-lo no outro dia. Simplesmente volte à área de adestramento e veja se o cão está entusiasmado o bastante com o comportamento para oferecê-lo logo de cara. Quando ele estiver bom nisso, depois de uma boa sessão, tire o cão da área de adestramento e volte sozinho para mudar o alvo, assim quando o cão voltar para a próxima sessão, ele não estará no mesmo lugar.

Quando o alvo estiver longe o bastante e numa posição inesperada para o cão, você deve ser capaz de dizer-lhe para achá-lo e tocá-lo. Primeiro, trabalhe com o alvo a uma distância de 50cm 20x. O cão deve se entusiasmar para voltar ao alvo. Depois, vire-o para que ele veja o alvo. Ele pode ficar parado, mas o ideal é sentado. Agora você precisa que ele olhe para o alvo. Se ele estiver feliz em voltar para o alvo, ele está olhando-o. Clique e, ao invés de dar-lhe o petisco, deixe-o tocar o alvo de novo. Esta é a recompensa por olhar o alvo. Nota: não é clicar duas vezes por um petisco! Apenas usamos dois tipos de petiscos, um para cada clique. Se ele não olhar imediatamente para o alvo, faça qualquer coisa para chamar a atenção dele para o alvo. Faça o que tiver que fazer e clique quando o cão olhá-lo. Se demorar um pouco para ele entender, dê-lhe um petisco na boca quando você clicar por ele olhar o alvo. Quando ele o procurar e olhar para ele, você pode deixá-lo tocar depois do clique.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Se você está usando tocar com o focinho, pode usar o mesmo comando de antes. Se está usando a pata, você tem duas escolhas. Você pode usar um comando completamente novo que signifique tocar com a pata (como “Cutuca” ou “Acerta!”) ou você pode usar o mesmo comando usado para o focinho. Ao usar apenas um comando, não há um controle sobre como o cão irá tocar o objeto, mas os cães não têm problemas de entender que queremos que eles toquem o objeto. Mas você terá tempo depois de começar a ensinar o comportamento antes de precisar chamá-lo de algo.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Seja como truque ou como um exercício, pense em como você adicionará a duração a este comportamento para produzir a “Posição”, como os golfinhos!

Se você decidiu tocar com a pata, pode usar uma fita dupla-face para grudar o alvo numa parede, levantando-o gradualmente até que o cão precise levantar a pata para tocá-lo. Aviso – não coloque numa parede lindamente pintada, ou você terá uma parede cheia de patinhas logo, logo. Este exercício é bom para ensinar o cão a tocar um sino ou apertar botões para abrir portas, e é um bom começo para os Níveis 5, 6 e 7 do comportamento de Target.

NÍVEL QUATRO
O cão segue e toca um bastão, apenas no final dele, com o nariz, com vontade de tocá-lo. Deve haver um comando de voz, mas não necessariamente na presença do bastão. Depois de um tempo, o cão deve demonstrar responder ao comando.

DISCUSSÃO:
Passamos de um toca passivo de um objeto que o cão pode alcançar sem se mover muito, para uma “caçada” ao objeto. Se seu cão tem instinto de caça, o truque é obter o comportamento sem que ele abocanhe o bastão. Se ele não tiver este instinto, você pode ensiná-lo a ter um com este comportamento.

COMEÇANDO:
Comece com o cão perto de você, de preferência não sentado. E sem usar o comando Parado. Não queremos que ele fique sempre em um ponto antes de começar. Lembre-o de tocar o bastão com o focinho. Trabalhe aí até que ele esteja ansioso para tocá-lo. Mova o bastão – para cima, para baixo, para a esquerda, para a direita, para a frente.

Quando ele estiver gostando da brincadeira, mova o bastão levemente para o lado, um pouco mais longe, de modo que o cão não consiga tocá-lo se não se mexer. Clique quando ele tocar. Ele pode tentar alcançá-lo, não conseguir e esperar pela recompensa, mas não faça nada, continue olhando para ele. Se ele realmente entendeu a brincadeira, ele dará um passo e tocará o bastão. Se não, faça outras 10 repetições com o bastão próximo a ele, fazendo-o se mover para tocá-lo e depois coloque-o fora o alcance de novo. Geralmente é fácil para o animal se mover para um lado ou outro ao invés de ir em frente, por isso é que, no começo, fazemos o cão dar um passo para o lado.

Quando ele conseguir dar um passo, consegue dar dois. Quando for para o lado, você pode mover o bastão gradualmente para a frente, para que ele vá na direção dele e toque-o.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
QUANDO MOVO O BASTÃO PARA LONGE DELE, ELE DESISTE!
Há muitas possibilidades aqui.

Sua taxa de reforço não está alta o bastante – ou seja, ele não está com vontade de brincar de tocar o bastão antes de você começar a distanciá-lo. Sua taxa de cliques antes de mover o bastão deve ser no mínimo mais rápida que um a cada 6 segundos, ou dez vezes em um minuto.
Seu critério está muito alto – peça para andar 1cm ao invés de 30.

Toca ISTOToca ISTOToca ISTOToca ISTOToca ISTOToca ISTOSeu timing pode estar desligado. Você tem certeza que clica quando o cão toca o bastão?

CONTINUANDO A EDUCAR:
Ter habilidade para tocar o bastão em movimento é útil. Você pode ensinar giros, andar entre as pernas, fazer o cão ir de um lado para outro. Fazer o cão ir mais longe e mais rápido para tocar o bastão. Fazê-lo perseguir o bastão enquanto você gira. Faze-lo pular um pequeno salto para tocar o bastão.

NÍVEL CINCO
O cão toca com a pata uma parede a 2,5m de distância. Comportamento opcional.

DISCUSSÃO:
Uma maneira divertida e fácil de ensinar o exercício Vá-Volte no Utility. Quando você não sabe como fazê-lo, parece muito difícil. Na verdade, é muito fácil de ensinar, e a maioria dos cães adora.

NÍVEL SEIS
O cão toca com a pata uma parede a 5m de distância com dois comandos. Opcional.

DISCUSSÃO:
Mais distância é tudo o que precisa neste Nível. Cuidado – certifique-se que o cão continua a ir para o muro em linha reta na sua frente.

NÍVEL SETE
O cão vai em linha reta tocar com a pata uma parede a 10m de distância, com dois comandos no máximo. Comportamento opcional.

DISCUSSÃO:
Uma ida a 10m rápida, em linha reta e entusiasmada. Meus cumprimentos!

Tradução: Fúlvia Zepilho de Andrade
Fonte: www.dragonflyllama.com

Níveis: 22. Parado Fica

NÍVEL DOIS
O cão permanence parado sem mover as patas por 10 segundos. O dono pode ou não deixar o cão. Este exercício deve ser feito ao lado do cão ou em frente a ele.

DISCUSSÃO:
O terceiro Fica para o cão aprender neste Nível. Ele já deve ter captado a idéia! Vá devagar, não é tão fácil para você observar quatro patas quanto o é observar se o cão está ou não deitado! Por isso o teste do Nível 2 é tão simples – ao lado do cão, na frente dele, deixá-lo, ficar com ele, apenas dê-me dez segundos e estamos bem!

Por outro lado, como é a terceira vez que explicamos o Fica, espero que o ParadoFica seja fácil. Apenas olhe os pés!

COMEÇANDO:
É como ensinar o SentaFica. Obtenha o Parado, dê rapidamente (Reforço Rápido) dez petiscos na posição. Na verdade, repita isso duas ou três vezes. Então, obtenha o parado, c/t. Parado, c/t. 10x. Qual a diferença? Quando você faz o Reforço Rápido, sua mão fica perto do rosto do cão. Você clica e dá o petisco na boca dele o mais rápido possível. Aí, vá um pouco mais devagar. Afaste a mão do petisco do rosto dele entre os cliques, como se o que acontecesse entre cada clique fosse um comportamento separado. Então obtenha o Parado, conte até dois, c/t. 10x. Conte até 3, até 4 e assim vai. Pronto, um ParadoFica!

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ELE MOVE OS PÉS MAS FICA PARADO!
Desculpe, não é um Fica. Nem pense em deixar que o cão ache que o Fica envolve mover os pés! Se ele mover um pé, ele falhou. Comece de novo e ensine-o desde o começo. Ele pode ficar parado por um segundo? Dois? Três? E assim por diante, sem mexer os pés! Cauda e cabeça sim, pés não.

ELE NÃO FICA PARADO DIREITO ENTÃO PODEMOS COMEÇAR O FICA! Opa, se ele não lhe dá um Parado sólido, ele ainda não está pronto para Ficar. Trabalhe o Parado e volte para o Fica quando ele estiver fazendo-o bem.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Quando você tiver 10 segundos de ParadoFica, comece a dizer ao cão como se chama. Geralmente dou o sinal de Fica.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Trabalhe o cão gradualmente até que ele faça o ParadoFica do seu lado esquerdo. E em cima de uma mesa? Na escada? Em cada cômodo da casa? Na porta de entrada?

NÍVEL TRÊS
O cão Senta-Fica para ser examinado – é tocado na cabeça e ombros.

DISCUSSÃO:
Como é um ParadoFica se o cão está sentado? Lembre que quando tornamos uma parte do comportamento mais difícil, tornamos o resto mais fácil. Ficar enquanto alguém toca a cabeça e os ombros é muito difícil para a maioria dos cães, então tornamos o Fica mais fácil. Também, com o bumbum do cão no chão, é mais fácil para o dono ver um bom Fica do que ver se o “testador” se comporta propriamente, o dono percebe o que se passa e o cão mantém os quatro pés no chão.

COMEÇANDO:
Você precisa tomar uma decisão, baseado no que sabe e observou em seu cão. Há três possibilidades.Primeiro, seu cão pode ser relativamente desinteressado em pessoas, e não liga se o tocam ou não. Se este é seu caso, peça um Senta-Fica e peça para alguém se aproximar do cão. Se você sabe que o cão ficará quando a pessoa está a 1m de distância dele, mas 50cm for mais complicado, clique quando ele ficar quando a pessoa estiver a 1m de distância. Tente dar-lhe o petisco na boca para ele não se levantar. Clique novamente quando a pessoa estiver a 90cm de distância, 50cm e quando estiver ao lado dele. Clique novamente quando a pessoa se abaixar na direção dele e novamente no primeiro toque. Quando o cão quebrar o SentaFica, a pessoa se afasta, você para de clicar e começa de novo. Cada vez que você clica quando a pessoa se aproxima, a pessoa pode hesitar por um momento.

Segundo, seu cão pode ficar animado imaginando uma pessoa se aproximando, tocando-o e não há jeito dele ficar parado enquanto alguém se aproxima e toca-o. Que sorte! Brinque de Humano Zen. Peça um SentaFica e clique 10x. Certifique-se do cão estar interessado. Agora a pessoa se aproxima a uma distância suficiente onde o cão provavelmente não falhará, mas perto o bastante para que ele a perceba. O cão vê a pessoa mas não se move, você clica e dá um petisco na boca, sem que ele tenha que se mover. A pessoa dá um passo na direção do cão, ele fica, você clica e premia. Veja que o cão está sendo recompensado duas vezes por ficar enquanto a pessoa se aproxima – uma vez com o petisco e a outra com a pessoa se aproximando dele. Para fazer a pessoa se aproximar, ele tem que ficar no SentaFica. A pessoa dá mais um passo em direção ao cão, ele fica, você clica e premia. E assim vai. É muito importante que a pessoa dê um passo de cada vez, para o cão ter tempo de prestar atenção no que está acontecendo. Mais um passo, clique, petisco. Agora você sabe que ele vai falhar, certo? E deve mostrar ao cão que quebrando o Fica não ganhará nada. Então, se ele mover uma pata, a pessoa se afasta. “Ah... ele foi embora!”. Dê um minuto para o cão pensar no erro e comece de novo. Peça o SentaFica, clique 5x, então a pessoa dá um passo na direção do cão, você clica. Um passo, um clique. Um passo, um clique.
Terceiro, seu cão pode não gostar da idéia do estranho. “Se eu quisesse que ele me tocasse, eu moraria com ele!”. Ele também vai brincar de Humano Zen, mas de um jeito diferente. O que ele quer é que a pessoa se afaste, então é o que lhe daremos. Peça um SentaFica e clique 10x. A pessoa vem para um ponto onde o cão a perceba sem quebrar o Fica. Clique, a pessoa se afasta e você dá o petisco. Este cão também é recompensado duas vezes – petisco e pessoa se afastando. Para fazer a pessoa se afastar, ele deve ficar no SentaFica. A pessoa volta e dá um passo na direção do cão, você clica e premia, a pessoa se afasta. Você mostra ao cão que ele controla a pessoa. Estar no controle dela acalma o cão e lhe dá confiança. Assim que ele perceber que permanecer na posição faz a pessoa ir embora, ele ficará por mais tempo, deixará a pessoa chegar mais perto e eventualmente tocá-lo, seguro de que se ficar na posição tempo o suficiente, a pessoa irá embora.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
NÃO SEI QUE MÉTODO USAR COM MEU CÃO!
Fique com o cão na guia. Peça para alguém se aproximar e fingir que irá acariciar o cão. Se ele não ligar, use o primeiro método. Se ele se atirar para a pessoa, use o segundo método. Se ele se esconder atrás de você, use o terceiro.

ADICIONANDO UM COMANDO:
Você adicionou algo (uma pessoa) ao comportamento que ele já sabe, então naturalmente você para de usar o comando até que ele lhe ofereça o comportamento inteiro, e nada além dele.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Diferentes pessoas! Homens, mulheres, crianças. Pessoas de botas, usando chapéus, mulheres com saia longa. Quando ele estiver indo muito bem, escolha uma pessoa fácil e peça-lhe que faça mais do que tocar a cabeça e ombros do cão e/ou peça para ele SentaFica ao ser examinado com alguma distância entre você e ele.

NÍVEL QUATRO
O cão fica Parado com comandos apropriados e parmanece parado enquando o dono se afasta 3m e volta. Uma volta “formal” não é necessária. Deve ser feito sem comida ou clicker por perto.

DISCUSSÃO:
Não há mais examinador agora, pedimos um Parado a certa distância e retiramos a comida. Algo mais difícil, faça o resto mais fácil. Note como ensinamos uma parte do Parado Para Exame, então aí aumenta a dificuldade da primeira parte e no próximo Nível colocamos tudo junto.

COMEÇANDO:
No Nível Dois o cão deve ficar no ParadoFica por 10 segundos ao seu lado ou à sua frente. Trabalhe isso de novo – não assuma que o cão se lembra só porque você passou por este Nível há meses.

Use o treino de duração 300 Repetições, trabalhe até 30 segundos de ParadoFica. Clique para 10 segundos, comece de novo. Clique para 11 segundos, comece de novo. 12 segundos e assim por diante. Quando ele ficar por 15 segundos, comece a aumentar o tempo em 2 segundos de cada vez. Quando ele errar, mover qualquer pata, volte para os 10 segundos. Se ele não ficar (temporariamente) os 10 segundos, volte para 1 segundo.

Quando ele for capaz de lhe oferecer com sucesso um ParadoFica por 30 segundos, volte para os 10 segundos e comece a aumentar a distância. Se afaste um passo, clique. Lembre que o clique termina o comportamento, então tente dar-lhe o petisco antes dele se mover, mas se não conseguir, tudo bem. O clique diz ao cão que o que ele fez foi certo. Comece de novo. Se afaste dois passos, clique. De novo. 3 passos, clique. Sem pressa.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Pratique em diferentes locais da casa, no quintal, na calçada, no parque. Comece a usar o ParadoFica para ganhar os life rewards – peça um ParadoFica antes de abrir a porta para sair, antes de deixar o cão entrar no carro, antes de lhe dar comida.

Continue praticando o SentaFica Para Exame. Quando você chegar no Nível Cinco, vai precisar de um cão equilibrado neste comportamento – sem medo de ser examinado, sem estar excessivamente excitado com o exame e entendendo claramente o comportamento que lhe dá o clique.

NÍVEL CINCO
O cão faz um Parado-Fica para exame. O dono pode permanecer ao lado do cão. Comandos apropriados. Deve ser feito sem comida ou clicker por perto.

DISCUSSÃO:
Agora tiramos a distância, pedimos um Parado, e colocamos o examinador de volta na equação. Dividimos o ParadoFica em tantas partes que será fácil para o cão nos dizer exatamente onde ele tem problema. Quando você sabe onde está o problema, é fácil retirá-lo dos outros comportamentos associados, trabalhá-lo e colocá-lo de volta.

NÍVEL SEIS
O cão executa um Exame Grupal completo por um minuto com o dono a 6m de distância. Comandos apropriados. Opcional.

DISCUSSÃO:
O Exame Grupal não é parte da competição de obediência, mas é um bom teste para as habilidades caninas. Peça um ParadoFica em uma linha de cães fazendo SentaFica ou DeitaFica, e peça para o examinador vir na direção do cão. O exame é mais detalhado que o anterior, envolvendo segurar a cabeça do cão, tocar suas orelhas e cauda e passar a mão em seu peito e descer pelas suas patas.

NÍVEL SETE
O cão executa um Exame Grupal por três minutos com o dono a 6m de distância. Comandos apropriados.
Comportamento opcional que deve ser feito sem comida ou clicker por perto.

DISCUSSÃO:
Uma continuação fácil do comportamento do Nível Seis.

Tradução: Fúlvia Zepilho de Andrade
Fonte: www.dragonflyllama.com

Níveis: 21. Parado (Stand)

NÍVEL DOIS
O cão fica parado a partir do Senta ou Deita com não mais que dois comandos – dois de voz, voz ou linguagem corporal, linguagem corporal e gesto, voz e gesto etc.

DISCUSSÃO: O parado é visto como um comportamento efêmero – o Deita as pessoas entendem: mantenha o corpo em contato com o chão. Parado pode ser definido pelo que não é: não é Senta, nem andando. O problema com o Parado é o critério. Na verdade, o Parado é um comportamento bem definido. Quatro patas sem se mover e sem estar sentado. Pronto. Se uma pata se mover, bingo, não é mais um Parado.

Para que serve? As respostas clássicas são: para ser examinado pelo veterinário e não sentar em poças. Mas não para por aí, claro. Parado é o começo da “pose” em exposições de cães. Um comportamento exigido em obediência. Necessário para cuidar do cão. Dá ao cão maior rapidez para começar o percurso de agility que quando sentado.

COMEÇANDO:
O jeito clássico de ensinar o Parado é guiar o cão para a frente até que ele pare, então tentar algo (talvez colocar a mão na barriga do cão) para mantê-lo na posição. Esqueça. Aqui é adestramento com clicker! É mais fácil que isso. A maneira mais fácil é simplesmente capturar o comportamento. Carregue o clicker e um pacote de petiscos com você e clique quando vir o cão parado. Deve ser bem fácil: se ele não o fizer, provavelmente está... morto?

Você também pode guiar, mas não para a frente. Coloque o petisco perto do focinho dele, abaixe-o rapidamente para o queixo em direção à garganta dele. Se ele virar para o lado para pegar o petisco, mova-o para mantê-lo reto. Ele vai trabalhar a parte traseira do corpo, ir para trás para pegar o petisco. Não faça o movimento como se fosse ensinar o Deita – parece com o Deita porque o é. Mantenha o petisco no queixo do cão. Clique quando ele se levantar. Lembre-se de se livrar do petisco na mão que guia o mais rápido possível. Não deixe o cão se mover de um lado para outro e conseguir pegar o petisco. Mantenha-o reto.

Ok, você está guiando. Por que este método é melhor que guiar para frente? Porque quando o cão vai para frente, seu centro gravitacional está numa posição que é fácil para ele sentar. Guiar para frente faz com que o corpo do cão queira sentar. Quando ele vai para trás, o centro gravitacional do cão muda e torna mais fácil para ele ficar parado. Guiar para trás faz com que o corpo do cão queira ficar parado.

Parado é um comportamento interessante porque presta-se às três maneiras de obter um comportamento. Para moldá-lo, simplesmente comece a fazer o cão ir para trás (recuar). Recuar, como explicado, naturalmente produz o Parado. Passe as primeiras sessões clicando até mesmo as patas dianteiras por recuarem, ainda que levemente. Quando o cão estiver oferecendo regularmente o movimento da pata dianteira na direção correta, espere ele recuar uma das patas traseiras. Depois você pode separar em Recuar e Parado.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
QUANDO O GUIO, ELE SÓ RECUA!
Adorável cão atlético! Você está clicando muito tarde se ele recua demais – ele não pode recuar sem primeiro ficar parado! Por outro lado, se ele dispara no recuo sem ajeitar as patas traseiras primeiro, comece a treinar em um canto, assim ele só poderá recuar um pata. Deixe-o tentar pegar o petisco, mas o único jeito de fazer com que você o dê é ficando parado.

QUANDO O GUIO, ELE COLOCA O BUMBUM NO CHÃO E ROLA PARA TRÁS! Geralmente acontece com cães filhotes, de rápido crescimento que não sabem exatamente onde estão os pés, mas algumas vezes acontece com cães perfeitamente normais. Quando ele rolar para trás, estará sentado em sua cauda e não conseguirá ficar parado mesmo se tentar. Ele recuou e esqueceu da sua traseira. Neste caso, guie-o para a frente primeiro para fazê-lo ficar parado, então, guie-o para trás para mantê-lo na posição. Clique qualquer movimento ou equilíbrio de peso no recuo.

TENTEI MOLDAR O RECUO, MAS ELE DÁ SÓ UM PASSO E PARA! Ah, você está clicando a parada! Seu pensamento é: “Acho que este é o máximo que ele consegue fazer, melhor eu clicar!”. Tarde demais. Quando você ensina um comportamento de movimento, como recuar, clique o movimento, não a parada! Note que estamos trabalhando o Parado, ele não precisa recuar. Se ele der um passo, está Parado!

ADICIONANDO UM COMANDO:
Guiar o parado com sua mão abaixo da mandíbula do cão produz um sinal (gesto) para o comportamento. Mova o sinal gradualmente para cima, assim você poderá dá-lo ao cão quando estiver em pé.

Para o comando de voz, quando ele ficar Parado voluntariamente, diga-lhe o nome do comando, ou use o comando de voz primeiro, seguido do gesto, até que ele comece a antecipar o gesto quando ouvir seu comando de voz.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Com um cão Nível 2, você provavelmente começou este comportamento com o cão na sua frente, olhando para você. Consegue obter o comportamento com o cão na sua frente olhando sua mão direita? Mão esquerda? Com o cão a seu lado?

NÍVEL TRÊS
O cão fica parado a partir do Senta com apenas um comando. Note que este comportamento é executado com o cão ao lado ou à frente do dono. Comportamento opcional que deve ser executado sem comida ou clicker no lugar.

DISCUSSÃO:
Por que as pessoas se contorcem tanto para fazer o cão ficar Parado? Não é mais difícil que fazê-lo Sentar. Dois objetivos aqui, primeiro obter uma performance sólida sob comando, e segundo, consegui-la sem comida.

COMEÇANDO:
Você já tem o Parado a partir do Senta com dois comandos – provavelmente gesto e voz. Se quiser ir do jeito mais fácil, pode deixar de usar o comando de voz. Se usa os dois, pode ser que o cão sequer ouça sua voz mesmo. Se quiser usar a voz, você tem duas opções. Voltar para o começo – fazê-lo oferecer o Parado voluntariamente – e então começar a dizer-lhe o nome do comando, sem usar gesto algum, até que ele ligue os dois (voz; comando). OU continuar de onde está, mas separar os dois comandos. Use o comando de voz primeiro, espere meio segundo, então use o gesto. Cães gostam quando uma coisa vem seguida de outra, então logo estará pensando “Toda vez que ele faz aquele barulho, ele me diz (gesto) para ficar Parado! Então, é para eu ficar Parado quando ouvir aquele som!”. Qualquer um destes métodos funcionará, a escolha é sua.
Agora, se livrar da comida. Clique o Parado 10x. Então tire todos os petiscos do bolso e coloque-os numa mesa, assim você terá que ir cada vez mais longe pegar o petisco depois do clique. Continue clicando o comportamento quando ele acontecer – o atraso é entre o clique e o petisco, não entre o comportamento e o clique. Vá em direção a uma porta. Logo você estará em um ambiente diferente, tendo que voltar para a mesa da sala para pegar o petisco cada vez que clicar. Pense nas 300 Repetições enquanto você sai para pegar o petisco. Se ele desistir de lhe oferecer o comportamento, volte para perto dos petiscos e comece de novo.Agora, estabeleça uma situação onde você não chega com os petiscos e então se afasta deles. Coloque alguns petiscos na mesa enquanto o cão está em outro lugar. Vá para a porta que divide os dois cômodos com o cão e peça-lhe para ficar Parado. Se ele o fizer, clique e vá para a mesa pegar os petiscos. Se não o fizer, comece do começo e explique tudo de novo. Quando ele conseguir fazer o esperado, ensine-o a ficar Parado em diferentes locais da casa, e comece a esconder petiscos em pequenos potes pela casa, assim sempre terá um petisco por perto.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
EU GUIEI POR MUITO TEMPO E AGORA ELE NAO FICA PARADO A MENOS QUE EU SEGURE UM PETISCO!
Mude a tática. Volte para o começo. Passe vários dias apenas capturando o comportamento. Faça-o pensar no Parado como um comportamento padrão. Então, passe várias sessões moldando o Parado clicando quando o cão recuar (Nível Dois). Aí trabalhe até que o cão ofereça o Parado voluntariamente em qualquer oportunidade. Finalmente, comece a usar o comando de voz no comportamento voluntário.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Dê o comando quando você estiver em pé, sentado, olhando para o cão, do lado dele. Em lugares diferentes, distâncias diferentes (do petisco). Comece a falar ISSO ao invés de usar o clicker para marcar o comportamento.

NÍVEL QUATRO
O cão fica Parado a partir do Senta com apenas um comando com o dono a 3m de distância. Comportamento opcional que deve ser executado sem comida ou clicker no lugar.

DISCUSSÃO:
Adicionar distância. Certifique-se que você tem uma resposta confiável para o comando antes de começar a se distanciar do cão!

COMEÇANDO:
Nada de novo aqui exceto obter o mesmo comportamento do mesmo modo mas mais distante. Quando você muda uma coisa, claro, torne as outras mais fáceis, então você adicionará os petiscos e o clicker na equação até que tenha o comportamento confiável à distância.

Você pode prender o cão em algum lugar, mas acho que qualquer pressão na guia tende a tornar mais difícil para o cão mudar de posição. Você pode ter mais sorte colocando o cão do outro lado de um portãozinho para que você possa se concentrar em obter o comportamento sem pensar em manter a distância que quer.

Peça para ele ficar Parado. C/T 10x. Afaste-se um passo do cão e comece de novo. Outro bom motivo para usar as 300 Repetições. Clique para um passo de distância, dois passos, três passos... quando o cão falhar, recomece à frente dele de novo. Clique para um passo, dois passos etc. Se você atingir um platô, pode diminuir sua distância de novo e tentar recuar apenas alguns centímetros de cada vez ao invés de um passo completo. Outro truque é clicar em cada distância cinco vezes antes de se distanciar mais.

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ESTOU A 1 METRO DE DISTÂNCIA DELE E ELE NÃO FICA PARADO!
Volte para perto dele e trabalhe perto o bastante até que ele fique parado com confiança. Quando ele estiver pensando no Parado perto de você, se afaste alguns centímetros e peça que fique Parado de novo. A qualquer momento que ele falhar no primeiro comando, se aproxime dele e comece de novo.

CONTINUANDO A EDUCAR:
Ele pode ficar parado se você estiver sentado? Com você em pé? Deitado no chão? Antes de jogar uma bola? Antes de abrir uma porta? Enquanto coloca a coleira nele? Brinque com isso. A maioria dos cães podem Sentar e Deitar, mas um cão que fica Parado sob comando a uma certa distância é realmente impressionante.

E claro, assim que ele entender o Parado na distância desejada, comece a tirar os petiscos do lugar que você normalmente treina, e peça-lhe que fique Parado quando você estiver em outras situações sem petiscos à mostra.

NÍVEL CINCO
O cão fica Parado a partir do junto com um sinal gestual apenas. Opcional.

DISCUSSÃO:
Parte do exercício de Utilidade (título do AKC), Parado a partir do Junto é um comportamento elegante se feito da maneira correta.

NÍVEL SEIS
O cão fica Parado a partir do Junto, o dono não para. Dois comandos permitidos. Comando opcional.

DISCUSSÃO:
Parte do exercício de Utilidade: Parado para Exame, considerado muito difícil de ensinar. Agradeça o adestramento com clicker!

NÍVEL SETE
O cão fica Parado a partir do Deita com o dono a 3m de distância, dois comandos permitidos. Comportamento opcional.

DISCUSSÃO:
Este comportamento não faz parte de nenhuma competição, mas é uma maneira interessante de testar sua habilidade em adicionar distância a um comportamento.

Tradução: Fúlvia Zepilho de Andrade
Fonte: www.dragonflyllama.com