Todos os Direitos Reservados

Este site é protegido pela Lei dos Direitos Autorais (Lei nº 9610) e toda e qualquer reprodução, parcial ou total, de um texto de minha autoria sem autorização está terminantemente proibida! Portanto, usem suas próprias cabeças para escrever no seu site, ok?! Ou sejam humildes e peçam autorização. Obrigada

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Treino para entrar no carro

Pistache tem medo de carro. Muito medo. Ao entrar no carro ele não relaxa: treme, baba e chega a vomitar.

Aqui, segue a segunda sessão de treino para ele entrar no carro (o processo é longo). A primeira sessão começou com ele apenas cheirando e olhando o carro, além de pegar petiscos perto da porta aberta. Terminou com ele colocando uma pata dentro do carro. Esta segunda sessão foi comigo dentro do carro, pra dar ainda mais confiança a ele. Terminou com ele colocando as duas patas dentro do carro, metade do corpo pra dentro.

video


Na terceira sessão (que não filmei), eu fiquei fora do carro e ele entrou, após 3 vezes colocando as duas patas da frente.

Suzie já entra no carro, sem medo algum: deita e dorme a viagem todinha, acordando nas paradas para esticar patas e se aliviar.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Enriquecimento ambiental

Enriquecimento é o ato de mudar o ambiente onde o animal vive (no caso dos cães, nossa casa) para encorajar comportamentos naturais. Para os cães, proporcione objetos para roer e procurar o alimento, oportunidades de correr, farejar, rasgar. Estes comportamentos naturais tornam a vida dos cães muito mais prazerosa. Quanto mais oportunidades oferecermos para que eles se comportem como cães, mais felizes e realizados serão.

Pensamos tanto no que queremos de nossos cães, mas esquecemos de pensar no que eles querem de nós. E não é algo difícil. Eles querem se sentir seguros, física e emocionalmente; ter suas necessidades físicas (abrigo, calor, alimento, água, carinho e companhia) atendidas diariamente. A maioria de nós fornece isso com facilidade. Mas os cães também precisam que seus corpos e cérebros sejam exercitados e isso algumas pessoas têm falhado em proporcionar.

Precisamos ter em mente que somos espécies diferentes e, aquilo que nos faz bem não fazem o mesmo por nossos cães. Por exemplo: somos espécies visuais, gostamos de ver coisas. Já os cães ficam felizes quando podem cheirá-las; usamos nossas mãos para explorar o mundo, os cães usam sua boca para isso; gostamos de criar coisas, os cães gostam de destruí-las.

Para enriquecer o ambiente que seu cão vive, pense nas coisas que ele gosta. Se você não tem certeza, tente coisas novas a cada semana e veja como seu cão responde a cada uma delas.

Normalmente os brinquedos mais apreciados pelos cães são aqueles que acordam seu instinto predador: brinquedos de pelúcia que fazem barulho; perseguir uma corda ou bolinha; cabo-de-guerra; um Kong recheado (tentar pegar alimento de dentro dele é como tentar pegar o tutano de um osso). Nossos cães não precisam ser mimados, precisam estar ocupados.

Benefícios
O enriquecimento ambiental, além de encorajar o cão a exibir comportamentos da espécie, também é usado para corrigir problemas comportamentais, tais como a síndrome da disfunção cognitiva dos cães (conhecido como Alzheimer canino), medos, ansiedade de separação, comportamentos obsessivos-compulsivos e comportamentos inadequados resultantes de tédio ou frustração.

Como enriquecer o ambiente de meu cão?

  • Brinquedos: já notou que, quando você dá um brinquedo novo ao seu cão ele fica muito animado mas, depois de uns dias, ele já perdeu totalmente o interesse nele? Isso porque os cães se acostumam com os brinquedos: o brinquedo novo se torna apenas mais um objeto inanimado no ambiente.

    A solução? Fazer o rodízio de brinquedos. Dê uma variedade de brinquedos para seu cão (formas, tamanhos, texturas, cores e odores). Ofereça cerca de 3 brinquedos por dia. No fim do dia, retire-os e coloque outros 3 "novos" brinquedos. Assim, seu cão sempre terá um brinquedo "novo" diariamente.
  • Exercícios: os cães precisam de exercícios diários para ter uma saúde física e emocional: se você tiver um filhote  ou um cão com alta energia, a quantidade de exercícios necessária para o bem-estar dobra. Lembre-se que seu cão não tem a quantidade adequada de exercícios apenas correndo no quintal da sua casa, por maior que seja o quintal e qualquer que seja o tamanho de seu cão.

    A maioria dos cães não tem oportunidade de fazer exercícios intensos com seus donos por uma série de motivos, mas seu cão precisa sim da sua ajuda para se exercitar e brincar. Há várias atividades que vocês podem fazer juntos. Algumas sugestões são:

    - Passear ou fazer trilha com o cão;
    - Correr com o cão (ou andar de patins com ele);
    - Andar de bicicleta com ele, usando equipamentos apropriados para isso (para segurança de ambos);
    - Se seu cão gostar, brincar de bolinha com ele.
    - Brincar de cabo-de-guerra;
    - Se seu cão gostar, leve-o para nadar e buscar brinquedos na água;
    - Esconda petiscos ou os brinquedos favoritos de seu cão pela casa.

    • Passeios: outra forma de aumentar a experiência de seu cão com o ambiente é levá-lo para diferentes tipos de caminhadas. Exemplos:
             - Passeios curtos onde o propósito seja apenas para fazer suas necessidades;
             - Passeios estimulantes nos quais seu cão tem tempo para parar, cheirar, investigar, marcar e descobrir os odores de diversas coisas. Muitos cães não têm todo este tempo para cheirar e investigar, então, permita que ele possa explorar de um jeito apropriado para a espécie: é excelente para a saúde mental dele;
             - Passeios de educação que aumentam a habilidade e confiança do cão, onde melhoramos os modos ao caminhar (guia frouxa), ensinar alguns comandos básicos de obediência e também é uma excelente oportunidade para socialização;
             - Passeios em ritmo acelerado, excelente para melhorar a saúde física do seu cão (e sua também).
    • Enriquecimento social: Se seu cão se dá bem indo a parques, proporcione oportunidades para interagir com outros cães sociáveis, além de exercícios e brincadeiras.

      Se você tiver amigos que tenham cães sociáveis, junte todos para uma ótima brincadeira (é bom para a nossa socialização também). Pode ser uma alternativa para evitar que os cães fiquem assustados com um número muito grande de cães, como seria o caso de parques.

      Atividades como agility, faro, flyball, freestyle são excelentes meios de enriquecimento social.
              Se você tiver amigos que tenham cães sociáveis, junte todos para uma ótima brincadeira (é                   bom para a nossa socialização também). Pode ser uma alternativa para evitar que os cães                     fiquem assustados com um número muito grande de cães, como seria o caso de parques.
           
              Atividades como agility, faro, flyball, freestyle são excelentes meios de enriquecimento social

    • Estratégias adicionais:

      - Proporcione ao cão enriquecimento visual também, dando-lhe oportunidade de ver através de uma janela (a menos que ele seja reativo aos estímulos externos);

      - Dê-lhe também enriquecimento auditivo, deixando a TV ou o rádio ligados, tocando músicas ou sons de natureza no CD e dando brinquedos que fazem barulho;

      - Proporcione enriquecimento tátil fazendo carinho, massagem e escovando-o. Mas lembre-se de fazer isso de um modo que o cão goste!;

      - Faça uso do olfato dos cães e coloque seus brinquedos em contato com suas roupas, para que eles fiquem com seu cheiro (e de quem mais morar com vocês). Óleos essenciais que sejam seguros aos cães são uma ótima pedida também. Esconda petiscos pela casa ou em caixas de papalão (também pode ser em rolos vazios de papel higiênico/toalha, caixas de ovos etc);

      - Quebra-cabeças para cães ajudam a manter o foco e atenção dos cães com alto nível de energia e mantém os cães que sofrem de ansiedade de separação ou que têm medo ocupados antes e durante estes eventos estressantes.
      Recheie brinquedos (como o Kong, acima) com alimentos apropriados à espécie para que ele se mantenha interessado. Também pode congelar estes brinquedos, para o cão ficar ocupado por um tempo maior. 

    - Proporcione ao cão enriquecimento visual também, dando-lhe oportunidade de ver através de uma janela (a menos que ele seja reativo aos estímulos externos);

    - Dê-lhe também enriquecimento auditivo, deixando a TV ou o rádio ligados, tocando músicas ou sons de natureza no CD e dando brinquedos que fazem barulho;

    - Proporcione enriquecimento tátil fazendo carinho, massagem e escovando-o. Mas lembre-se de fazer isso de um modo que o cão goste!;

    - Faça uso do olfato dos cães e coloque seus brinquedos em contato com suas roupas, para que eles fiquem com seu cheiro (e de quem mais morar com vocês). Óleos essenciais que sejam seguros aos cães são uma ótima pedida também. Esconda petiscos pela casa ou em caixas de papalão (também pode ser em rolos vazios de papel higiênico/toalha, caixas de ovos etc);

    - Quebra-cabeças para cães ajudam a manter o foco e atenção dos cães com alto nível de energia e mantém os cães que sofrem de ansiedade de separação ou que têm medo ocupados antes e durante estes eventos estressantes.
    Recheie brinquedos (como o Kong, acima) com alimentos apropriados à espécie para que ele se mantenha interessado. Também pode congelar estes brinquedos, para o cão ficar ocupado por um tempo maior. 

sábado, 18 de julho de 2015

Além da educação: crie laços com seu cão

Todos sabemos as vantagens de se ter um cão educado: podemos ir com ele para vários lugares dog friendly, temos um convívio mais harmonioso em casa, são queridos por nossos amigos e familiares, é prazeroso passear com eles. Mas, nosso convívio com eles vai além da educação: devemos criar laços com eles.

Criar laços não é algo complicado: ocorre naturalmente quando temos um cão e o criamos com apego. No começo, o filhote pode não esperar que você o guie mas, com o tempo, você verá que ele começa a te ver como alguém em que ele pode confiar, e a educação fica mais fácil.

Então, como fazê-lo? Primeiro de tudo: como você educa seu cão? Treinos baseados em reforço positivo são muito mais benéficos para o relacionamento que queremos ter com nossos cães que um baseado em líder da matilha e punições. Um cão que confia em nós tende a obedecer mais, e com mais alegria. Abaixo, mais algumas dicas para que você crie laços com seu cão:


  • Brinque com ele - divirtam-se juntos, deixe ele ser um cão. Jogue bolinha no jardim, brinque de cabo-de-guerra. Descubra do que ele mais gosta de brincar e brinque com ele. Além de estreitar os laços existentes entre vocês, ambos ficarão relaxados.
  • Eduque-o - sim, um cão que tem laços estreitos com você é mais fácil de educar, mas o contrário também é verdade: quanto mais educamos nossos cães, mais estreitos ficam nossos laços com eles. 
  • Mantenha a calma - ter um cão não é só alegria: também nos frustramos e ficamos ansiosos. E não só com eles, mas com as coisas da vida de um modo geral. Gritar e ficar nervoso assusta a maioria dos cães, mesmo quando nosso acesso de raiva não é direcionado a eles. Se for, o estrago é ainda maior. Se esforce para falar em tom de voz calmo com seu cão, mesmo quando ele apronta: gritar não resolve problema alguma, só estraga o relacionamento entre vocês dois.
  • Preste atenção na sua linguagem corporal - aprenda o básico do comportamento canino e a ler seus sinais corporais. Isso lhe ajudará a entender o que seu cão gosta, não goste e o amedronta. Lhe ajudará a prevenir problemas antes que eles comecem e a retirar seu cão de uma situação desconfortável ou assustadora. Assim que ele entender que você o manterá a salvo, a confiança entre vocês dois crescerá. 
Resumindo: ter um cão traz alegria à nossa vida e também devemos dar a ele o que precisa para ser feliz. Ter momentos felizes juntos e cuidar de seu cão estreitam os laços entre vocês. Sim, cada cão é diferente, demonstram seus sentimentos de forma única, mas todos merecem ter um relacionamento maravilhoso conosco. 

domingo, 12 de julho de 2015

It's Yer Choice


video

Um vídeo para mostrar como meus magrelos estão se saindo com o jogo "It's Yer Choice". Suzie sabe com o comando (Deixa), mas no exercício em questão eu não posso falar nada: eles têm que ter o auto controle por si sós e não querer pegar o que eles querem pegar: precisam esperar para isso. Em breve usarei para a porta, coleira, portão etc etc etc. 

Aqui estão na segunda aula com a comida deles.

Níveis de distração:
- presença de outro cão familiar (nível 5 para o Pistache, nível 2 para Suzie);
- presença de crianças familiares (nível 1 para os dois);
- presença de móveis (nível 0);
- presença de alguém filmando (nível 0);

sábado, 11 de julho de 2015

Mesma raça, personalidades diferentes

Este post aqui é só pra descontrair e mostrar que apesar de pertencentes à mesma raça, os cães têm suas personalidades, são indivíduos diferentes.

Aqui em casa tenho um casal de whippets. Suzie, que está com a gente desde os 4 meses, e Pistache, que chegou aqui com quase 5 anos. Whippets são cães ágeis, companheiros, asseados, se adaptam ao nosso estilo de vida: estão sempre prontos tanto para nos acompanhar em corridas, trilhas, caminhadas, como deitados ao nosso lado enquanto lemos um livro ou vemos um filme. Mas tenho observado diferenças sutis nos dois.

Pistache, à esquerda; Suzie, à direita
Suzie:
* apegada, mas mais independente: ela não precisa de tanto contato físico, mas gosta de nos ter em seu campo de visão;
* muito ágil, mesmo com quase 11 anos ela pula, corre e não é de se cansar fácil;
* aprende muito, muito rápido;
* não é resistente ao frio e calor extremos;
* agitada, principalmente quando vê outros cães na rua;
* prefere explorar um local novo a ficar perto, apesar de sempre voltar para checar se estamos no mesmo lugar;
* confiante, para elas todas as visitas vieram vê-la.

Pistache:
* extremamente apegado, adora colo, precisa de contato físico e tem horas que parece que quer entrar dentro da gente;
* meio estabanado, derruba as coisas, se cansa mais fácil nas corridas;
* aprende rápido, mas precisa de mais tempo para entender o que se quer dele;
* resistente ao clima;
* calmo, principalmente com outros cães;
* em um local novo, fica ao meu lado, buscando segurança;
* mais medroso, não é tão receptivo com visitas.

Qual o objetivo de eu escrever um post falando disso? Que utilidade tem? Simples: não é porque dois ou mais cães são da mesma raça que reagirão da mesma forma. Cães são indivíduos e cada um tem sua personalidade. Ao selecionarmos uma raça, não quer dizer que o cão por nós escolhido terá o comportamento 100% do descrito pelo padrão: o padrão diz o que podemos esperar, sim. Por exemplo, não podemos esperar que um Whippet seja um cão de guarda ou pastoreio. O padrão apenas nos diz o que esperar de um modo geral. Há as variações de cão para cão.

Outra coisa: não acreditem em locais que dizem que o cão da raça X é difícil de educar, que são burros, teimosos etc. Eu ouvi isso quando conversei com uma pessoa, que os Whippets eram burros demais para serem educados: ela sabe fazer inúmeras coisas. Todos os cães têm a capacidade de aprender, principalmente quando trabalhamos com reforço positivo.