Todos os Direitos Reservados

Este site é protegido pela Lei dos Direitos Autorais (Lei nº 9610) e toda e qualquer reprodução, parcial ou total, de um texto de minha autoria sem autorização está terminantemente proibida! Portanto, usem suas próprias cabeças para escrever no seu site, ok?! Ou sejam humildes e peçam autorização. Obrigada

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Seminário - Adestramento positivo e Clicker training


Será realizado, entre 31/10 e 02/11, seminário sobre adestramento positivo, clicker training e solução de problemas de comportamento, conduzido por Deborah Leão, moderadora da comunidade Dicas de Adestramento, do blog de mesmo nome, e do Canto dos Bichos. O seminário ocorrerá no CTA – Centro de Treinamento Aricanduva, Otavio Vasco do Nascimento, 200 - Pq. Maria Luiza, na Zona Leste de São Paulo, capital.


O valor das inscrições é de R$350,00 até 10 de setembro, e R$400 depois dessa data – lembrando que são 3 dias de curso, e que é permitido e desejável levar cães ou outros animais, desde que possam ficar em caixa de transporte ou gaiola.


O cronograma básico do curso é o seguinte:


TEORIA DA APRENDIZAGEM

1. Introdução

2. Conceitos fundamentais

3. Condicionamento clássico/pavloviano

4. Condicionamento operante

5. Fatores que afetam o comportamento

6. Obtenção de comportamento

7. Controle de estímulo

8. Clicker


SOLUÇÃO DE PROBLEMAS

1. Métodos

2. Técnicas

3. Problemas específicos

4. Uso de medicamentos em problemas de comportamento (Dra. Celia, médica veterinária)


ETOLOGIA

1. Conceitos básicos da etologia

2. Fases do desenvolvimento

3. Liderança


EXERCÍCIOS DE ADESTRAMENTO

1. Introdução

2. Equipamento

3. Exercícios básicos

4. Truques

5. Criatividade

6. Exercícios especializados


PARA SE INSCREVER, ENTRE EM CONTATO COM OS ORGANIZADORES:

Organização: PC Bruniris.
Data: 31/10/2009 até 02/11/2009.
Horário: de 8:00 até 17:30 com 1 hora de almoço.
Telefones: 11-2208-1625/ 11-9401-4170/11-7856-7870ID Nextel: 43472*3 com PC ou Celia.
e-mail: dra_celiamp@yahoo.com.br


Apoio: Marcos Bossle.
Telefones : 11-7885-0106 – ID Nextel: 9*8856 / 11-8329-7672
e-mail: marcos.adestrador@yahoo.com.br

domingo, 30 de agosto de 2009

O que amo na Suzie

Suzie na chácara, um dos lugares que mais amamos ir

Puxa, amo tanto minha magrela que nunca escrevi nada sobre ela aqui. Que vergonha! Tsc tsc. Bom, antes tarde que nunca então, vou escrever um bocadinho sobre ela. Pra quem não a conhece pessoalmente, vai conhecê-la um pouco mais agora.

1. Quando chegou em casa, ou melhor, no aeroporto, eu parecia uma criança que ganha o melhor doce do mundo. Eu ERA uma criança que tinha ganhado o MELHOR cachorro do mundo. Aquela pequenininha, magrela, tremendo... deitadinha no meu colo. Nunca chorou, nem na primeira noite em casa. Educada desde berço.
Eu, toda sorrisos, assim que ela chegou em casa.

2. Educada, mas safada. Demorou alguns meses mas... destruiu algumas coisas em casa: antena do rádio, controle remoto, tênis, soutien, cabos de tv. Até ganhar um belo osso e desistir das coisas sem gosto.

3. Bastante esperta, desde o começo. Aprende bem rápido, a dona que ainda não aprendeu a ensinar direito.
Toca aqui (high-five) - ela adora

4. No começo, adorava uma boa brincadeira. Sua energia parecia não acabar nunca. Agora, adora um bom sofá. Mas não dispensa os passeios: está sempre a postos quando digo a palavra "passear" ou "sapatinho".

5. Nunca foi muito de comer, mas come melhor quando trabalha pra comer. Então, adestramento nela e petiscos pellets de ração (além dos petiscos normais).
Suzie no seu aniversário de 4 anos

6. Parece a mãe dela: é louca por cachorros.

7. Adora dormir em baixo de um cobertor ou edredon, não importa se estiver 5 ou 35 graus. E até hoje não sei como não sufoca. E dorme nas posições mais malucas do mundo, que não sei como consegue dormir daquele jeito e ainda acordar super bem, sem dor nenhuma.
Suzie sem cabeça (alguém aí achou a cabeça da Suzie?)
Dormindo debaixo do edredon com o papai

8. Para ela não importa se saímos e ficamos fora 10 segundos ou 10 horas: a alegria de nos receber é a mesma (e já quebrou o rabo duas vezes por conta disso).

9. Confesso que gosto de ir em lugares em que ela possa ir junto. Nos outros... vou protelando. Pra mim, ela é membro da família, e não só um cachorro.

10. Adora sua maninha Letícia, principalmente quando ela resolve dividir seus lanches com ela (iogurte, bolo, pão, frutas...).
Suzie e sua maninha, Letícia - melhores amigas

11. Meio cabeçuda de vez em quando. Mas, quem não é?

12. É a Whippet mágica: tem horas que ela parece um cachorro grandão, outras horas parece um cachorro nanico; algumas vezes tem cara de filhote, outras tem cara de velha.

13. Quando dá os 5 minutos na Suzie, sai da frente: ela corre, pula, gira, senta, deita, corre, pula, gira, senta, deita... até se cansar (da última vez, caiu).
Run, Suzie, run!! - neste lugar ela adora correr!

14. Consegue amolecer o coração de quem tem medo de cachorro, de quem não gosta de cachorro e até de dono de hotel que só aceita cachorro minúsculo. Quem manda ser carismática, bem educada, não latir e não ter cheiro? Por isso tá sempre com a gente, em qualquer lugar que vamos. Até em lanchonete já entrou, lanchou, ficou sentadinha e quase ninguém percebeu que tinha uma megrelinha peluda no lugar.
Também, quem consegue resistir?? Eu mesma não consegui, e não consigo até hoje...

15. Ela sabe das coisas melhor que eu: nunca se esquece de escovar os dentes antes de dormir, que tá na hora de comer, de brincar, de passear, de dormir. Com seu olhar ela consegue se comunicar comigo perfeitamente. Estamos sempre em sintonia.

Nem preciso dizer que eu AMO essa menina... é a cachorrinha que eu sempre sonhei em ter. Só sinto falta dela ser um bocado mais ativa, mais brincalhona mas... acho que é mal de Whippet adulto mesmo.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Segredos do Pedigree

Basset Hound

Faz um tempinho que estou pra postar alguma coisa sobre este programa, que achei muito bom, que passou recentemente em um canal da TV paga: Segredos do Pedigree.

Eu, como bióloga e amante de animais e comportamento animal (tá, principalmente os cães), acho que realmente o homem, com toda a inteligência, não deveria produzir raças (e animais) cheios de problemas, sem ao menos se importar com o bem-estar dos mesmos. Eu já tive contato com um Cocker Spaniel Inglês, fruto de acasalamento com irmão e irmã, que tinha vários problemas: menor imunidade, problemas neurológicos (dificuldade em andar, epilepsia), comportamentais, de pele e nos olhos. De uma ninhada de seis filhotes, este foi o único sobrevivente, mas viveu cerca de 8 meses apenas. Agora, por que fizeram este acasalamento? Porque os irmãos eram chocolate, uma cor raça, que eles queriam produzir. Mas, e o bem-estar deste animal? Isso é vida?

Hoje em dia vemos raças (não apenas de cães) que são verdadeiros mutantes: não conseguiriam sobreviver na natureza sozinhas. Na minha opinião, os maiores exemplos são o gato Persa e o Bulldog Inglês. O Bullgod tem problemas de respiração e, consequentemente, de resfriamento (a grande maioria deles, pelo que tenho lido, morre de superaquecimento); não tolera exercícios físicos e nem calor; as fêmeas não conseguem dar a luz normalmente, somente via cesárea, pois os filhotes são extremamente cabeçudos; a fêmea não aguenta o peso do macho, então, a maioria engravida por inseminação... e por aí vai.
O Persa tem problemas com o canal lacrimal, alguns não produzem a quantidade ideal de lágrimas, ocorrendo problemas oculares; por causa do achatamento extremo do focinho, alguns tem problemas para respirar, outros nascem com palato aberto; as fêmeas também, algumas vezes, não conseguem dar a luz os filhotes, tendo que nascer por cesárea.

Cavalier King Charles Spaniel

Mas, isso não para por aí. Tem muito mais coisas, desde raças que possuem problemas sérios mas continuam usando estes exemplares não saudáveis nos acasalamentos, visando apenas a estética, até animais que, sem dúvida alguma, sofrem com excesso de rugas, excesso de achatamento de patas; focinho curto; muito pesado...

Para quem quiser saber mais, veja aqui. Quem quiser ver o vídeo do programa completo, clique aqui.

Guia 4 rodas viagens com seu cão

Eu sou uma fuçadeira de blogs e, ontem, lendo um blog muito interessante, que fala bastante sobre agility (que um dia eu AINDA vou fazer) e Pastor de Shetland (uma raça que eu AMO, junto com os Galgos), descobri que tem o guia 4 rodas viagens com seu cão para download gratuito (aqui).

Já baixei o meu e, gente, tem muitas dicas interessantíssimas, vários hotéis que aceitam cães (alguns, não tem todos não, tá), veterinários nas cidades, restaurantes e bares que aceitam cães, trilhas e muitas dicas super bacanas.

Gente, vale a pena baixar e ter este guia.
Suzie em Campos do Jordão

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Doação em Campinas

Oi pessoal.
Algumas vezes trato de outros assuntos aqui no blog e hoje vou dizer que, em Campinas, tem duas cadelinhas para doação. Seguem os dados.

As duas (sim, são duas fêmeas) estavam vagando na Rodovia D. Pedro e com certeza seriam atropeladas. Uma moça (Maria Eugênia) parou para resgatá-las. As duas têm entre 3 e 4 meses e, segundo a moça, a pretinha ficará pequena e a marrom ficará de porte médio.
Quem quiser adotá-las, mande um e-mail para Maria Eugênia: mecleite@yahoo.com.br.

E, por favor, quem ficar com elas, procure castrá-las (não sei quais as condições dela: vacinas, vermífugos etc, tem que entrar mesmo em contato), para evitar a superpopulação de cães (e eviter que mais cães fiquem vagando por aí, sem dono) e para tornar a vida das duas mais saudável e feliz.

A Pretinha (carinha de sapeca)
A marrom (coisa mais fofaaa!)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

A Importância das Caminhadas

Vou fazer uma série nova: A importância da... Vamos começar com a importância das caminhadas. Quem souber de mais alguns itens importantes na vida de um cão, gato, cavalo, etc, pode comentar.

O que acontece quando pegamos a guia? Provavelmente o cão mal pode esperar e fica doidinho, de tão excitado. Passear com o cão é muito importante: pra ele e pra você. Não é apenas fazer as necessidades na rua e dar uma voltinha no quarteirão pra “sair de casa”. Os cães também precisam de interação social e estímulo mental, além da brisa suave batendo no focinho (e trazendo cheiros deliciosos) e do exercício.

Benefícios dos passeios diários

Passear diariamente com o cão dá a ele a oportunidade de passar um tempo com você, fazendo, juntos, uma atividade que ele adora. O estímulo mental ele consegue cheirando, olhando e ouvindo o que se passa no caminho: isso é tão importante quanto o exercício físico em si. O passeio é uma excelente oportunidade para praticar a obediência e reforçar o ele que une você ao seu cão. Quando vocês encontram outro cão ou pessoa, isso dá ao seu cão a oportunidade de praticar habilidades sociais.

Suzie passeando com a mamãe

Passear é o melhor exercício para cães de qualquer idade e estilo de vida. Mesmo cães que vivam em casas com quintais imensos precisam caminhar, afinal, não é porque vivem em uma casa com quintal que eles se exercitam e tem os estímulos necessários para ter qualidade de vida. Cães que vivem em apartamento devem sair, sempre que possível, cerca de quatro vezes por dia e cães que vivem em casas com quintal pequeno, de duas a três vezes ao dia. Vinte minutos (ou mais – pra mim, 30 minutos é o mínimo aceitável) é um tempo bom, mas, quanto mais, melhor.

Após as refeições os cães estão mais inclinados a fazer suas necessidades: levá-los nessa hora para uma caminhada rápida, só pra se aliviar, é uma boa pedida (exercícios mesmo devem ser feitos ANTES do cão comer. Não é bom se exercitar com a barriga cheia). Mas, isso só funciona se o cão tiver horários para comer; cães que tem comida à disposição são uma verdadeira incógnita quando se trata de hábitos sanitários.

Guias e sacolinhas

Os cães devem sempre andar com coleira e guia, pra segurança deles, de outros cães e de outras pessoas. Andar na guia é a maneira mais segura de se caminhar com seu cão; mesmo o cão mais bem treinado pode se distrair e atravessar a rua... Caminhar com a guia também evita que seu cão entre nas casas de outros cães e, possivelmente, deixar as pessoas que lá moram bem chateadas com a invasão. Deixar os cães soltos, só em áreas devidamente cercadas e com cães sociáveis. Não importa local que você e seu cão passeiam, nunca se esqueça das sacolinhas plásticas para recolher as fezes dele. Se você pretende passear por bastante tempo, leve tambem água para seu cão.

Benefícios dos passeios diários para ter um cão educado

Adestradores, proprietários e veterinários concordam que os cães devem fazer caminhadas diárias. A razão para isso nem sempre é bem explicada. Mas a verdade é que caminhar com o cão é saudável – proporciona exercício para dono e cão – mas os benefícios vão além do aumento da capacidade cardio-respitarória.

Como caminhar com o cão

Muitas pessoas não andam corretamente com o cão. É muito mais comum vermos o cão levando o dono para passear, puxando-o em todas as direções, indo de um lado para o outro, e o dono sendo praticamente arrastado de um lado pro outro. Alguns donos dizem que os cães parecem gostar de puxar, mesmo sendo praticamente enforcados a caminhada inteira.

A melhor maneira de caminhar com o cão é ele ao lado do dono, com a guia frouxa (saiba mais sobre este treino aqui). Para isso é preciso prática, consistência e paciência para ensiná-lo a andar com a guia frouxa. Não há dúvidas que os benefícios são enormes.

Benefícios da caminhada diária

Os cães tem um instinto migratório e a caminhada diária ajuda a satisfazê-lo. Ao mesmo tempo, o exercício de levar o cão para andar com a guia frouxa reforça as boas maneiras. Ser o “líder” da matilha não é dominar o cão, mas sim ter um cão que ouve o dono e se comporta apropriadamente em diversas situações.

As caminhadas diárias devem ser ajustadas de acordo com as necessidades de cada cão. Um cão com alta energia, como o Border Collie, deve caminhar por períodos mais longos que raças pequenas, como o Yorkshire Terrier. Por exemplo: andar uma hora com um Border Collie ajuda a gastar energia, enquanto um passeio de meia hora pode ser mais que suficiente para um Yorkie.

Ferramentas para educar

Existem várias delas à disposição. Cada uma trabalha de um modo diferente, mas com o mesmo objetivo. Vão desde guias de exposição, que ficam na parte mais alta do pescoço, atrás das orelhas; passando pelos famosos enforcadores; até a Gentle Leader e a Easy Walk. Eu, particularmente, prefiro métodos que não machuquem o cão e não uso enforcador na Suzie (uso o meio-enforcador, mas usei a GL no começo, para ensiná-la a andar tranquila na guia – hoje estou descobrindo a Easy Walk).

O melhor, para escolher a ferramente ideal, é procurar um adestrador ou comportamentalista que não faça uso de punições (se for alguém que treine com cliker, melhor ainda!).

Cão cansado é cão comportado!

Caminhadas, exercícios, juntamente com enriquecimento, uma boa dieta e adestramento positivo: são todos fatores importantes em ter um cão bem comportado. Mas, estamos falando dos passeios agora. E eles são, sim, importantes! Com eles, seu cão vê o mundo lá fora, você pode ensinã-lo boas maneiras, permitir que ele encontre outras pessoas, cães e animais para se socializar e mantê-lo socializado (na verdade, nunca terminamos de socializar nossos cães). Além dos passeios, existem outras maneiras de se exercitar com o cão, dentro ou fora de casa:

  • andar de bicicleta (existem equipamentos próprios para se andar de bicicleta com segurança com seu cão ao lado) ou correr com o cão (mas nunca com filhotes e antes de começar, converse com o médico veterinário);

  • fazer trilhas;

  • seguir odores (duas vezes de 30 minutos ou três vezes de 20 minutos todo dia);

  • nadar;

  • brincar com outros cães;

  • brincar com os donos.

Mas, antes de exercitar seu cão, não se esqueça da idade e raça do seu cão e das condições climáticas (temperatura e umidade (não dá pra correr com um Husky Siberiano às 11 da manhã num calor de 35 graus!).

Quanto mais exercícios proporcionamos aos nossos cães, melhor. A maioria dos adultos jovens precisam de pelo menos uma hora diária de exercícios, algumas raças precisando mais que outras. Cães pastores e de caça, até os dois anos, precisam de horas de atividades diárias para se tornarem companheiros comportados e felizes, mas nem tudo precisa ser de exercício físico.

Outra forma de exercitar os cães, mas muito pouco explorada pelas pessoas, são os exercícios e estímulos mentais. Ensine ao cão truques e coloque a comida do cão em brinquedos próprios para isso (como o Kong ou uma garrafa pet com alguns buracos – feita em casa mesmo) ao invés de oferecê-la sempre no potinho de comida. Assim, as refeições manterão o cão ocupado por cerca de 30 minutos a 1 hora, ao invés de 5 segundos.

Cães não se entretem sozinhos. Se você solta seu cão no quintal, ele não se exercitará sozinho (a menos que tenha(m) outro(s) cão(es) para brincar). O mais provável é que, isolado no quintal, ele lata de tédio, tente escapar ou resolva fazer jardinagem. Sempre supervisione o cão quando estiver no quintal e, se ele fica lá enquanto você trabalha, canse-o antes de sair para trabalhar e deixe à disposição brinquedos que o estimulem mentalmente, brinquedos para roer e esconda petiscos. Assim ele ficará entretido por bastante tempo e até tirará uns cochilos de vez em quando. Se você fica 10 horas fora de casa, e não conseguir tempo no almoço para voltar e dar um passeio e atenção ao seu cão, pense em contratar um passeador responsável (existem empresas especializadas neste serviço, não saiam contratando qualquer um que se proponha a levar seu cão pra passear – essa pessoa, por mais bem intencionada, pode pensar em somente ir até a esquina e voltar, não satisfazendo as necessidades do cão) e/ou, alguns dias na semana, colocá-lo em uma creche canina. Quando eu trabalhava fora, tinha horários bem flexíveis e a Suzie passava 6h sozinha, mas não direto, divida em 2x (3h de manhã e 3h à tarde). E eu sempre a cansava antes de ir trabalhar e também quando chegava.

Caminhadas diárias devem fazer parte da rotina diária

Não é incomum que muitas pessoas decidam comprar uma casa com quintal grande para deixar os cães felizes. Estes donos estão tentando dar o melhor para seus cães: ao dar-lhes bastante espaço, acreditam que estão fazendo um favor ao cão, já que ele poderá correr pelo quintal todos os dias, sempre feliz.

Na verdade, um grande quintal é uma excelente oportunidade para os cães explorarem e brincarem soltos, mas o erro está em achar que pode-se trocar as caminhadas diárias por um quintal. Então, estes donos bem intencionados, deixam o cão no quintal, o alimentam e nunca só saem com o cão quando chega a hora de ir ao veterinário. Ao fazer isso, os donos perdem uma excelente oportunidade de educar os cães através dos passeios.

O que caminhar significa para os cães

Para os cães, caminhar é instintivo. Na natureza (nem precisamos ir tão longe: vejamos os cães de rua e cães que vivem com mendigos, catadores de lixo...), os cães andam muito todos os dias, procurando alimento. Essas andanças podem durar até 10 horas. Bastante, comparado com a mera 1 hora de passeio diário que a maioria dos cães tem hoje em dia.

Observando lobos andando pelo território em busca de presas, nota-se que a matilha possui um líder, que é responsável por tomar decisões, como para onde ir e o que fazer e, então, a matilha segue o líder. A matilha está sempre atenta ao líder e o seguem sem tentar ir à frente dele e nem parando para cheirar tudo no caminho: todos os lobos andam juntos, com o líder sempre na frente e alerta.

Na vida doméstica, nós deveríamos fazer o papel do lobo líder: assim, o cão estará sempre atento em nós, sem puxar a guia e sem ficar parando toda hora (mas faça pausas durante o passeio pro seu cão cheirar: parando em praças ou em jardins que, com certeza,estarão cheios de cheiros interessantes).

Mas, calma lá: não é pra agirmos como lobos e ficarmos rosnando, mordendo e dando patadas nos nossos cães! Existem muitas maneiras de conseguirmos que nossos cães prestem atenção na gente, e fazer o cão ter medo de nós não leva a nada. Aliás, violência gera violência: devemos tratar nossos cães com respeito e paciência, como gostamos de ser tratados. Métodos positivos ao ensinar seus cães, hein?!

O ritual da caminhada

Na natureza, lobos e cães selvagens andam pela manhã e no fim da tarde, quando caçam e, depois, lógico, comem. Em casa podemos repetir este ritual de caminhar e depois comer. Exemplo e algumas dicas:

  1. Eu chamo a Suzie e peço pra ela sentar. Coloco a coleira e a guia (e, em alguns casos, a mochila de exercícios – depois falo sobre ela). Suzie mochileira

    Muitos dizem que o cão não deve estar excitado quando colocamos a coleira nele mas... risos. Só que a Suzie SEMPRE se acalma quando coloco a coleira nela. É como se ela ficasse atenta que vai andar comigo, e não me puxar.

  2. Agora uma questão controversa: passar pela porta antes do cão. Muitos dizem que devemos fazer isso pois, se permitirmos que o cão passe em nossa frente ele nos liderará. Bom... existem muitos treinadores com clicker que dizem que não tem nada a ver. Quem são estas pessoas? Melissa Alexander e Pat Miller. Sinceramente, existem outras maneiras de o cão nos respeitar... Algumas vezes pra mim é mais fácil a Suzie sair na minha frente; em outras eu saio na frente dela. E estamos bem, obrigada.

  3. Na rua, o cão deve caminhar ao lado do dono ou ligeiramente atrás dele. Suzie anda assim comigo, digamos 95% do tempo ou mais. Depende da quantidade de moscas e pombos que encontramos no caminho... risos. Se ela começa a me puxar, vou andando de marcha a ré até ela perceber que puxar não leva a nada. Mas, o treino de andar com a guia frouxa vou fazer pra sempre... ela é muito atenta: tanto em mim quanto com as coisas ao redor (por mais que eu não ache ela atenta comigo, um treinador de agility comentou o quanto ela é atenta em mim, que ela daria uma bela agiliteira. Será?!)

  4. Mais uma controversa: dono comer primeiro. A gente come todo mundo junto ou, então, a Suzie chega e já come. Ah, faça-me o favor, existem outras maneiras... O que eu faço que dá super certo: ela precisa trabalhar pra comer. Sim. Ela não chega e já recebe a comida no pote e pronto, vai comer. Nããããooo... ela sente, deita, rola, dá a pata, faz wave, targeting, dá beijos, faz alguns truques, dá uns passos de dança e, aí sim come: ma parte no pote, outra parte num brinquedo que solte a ração se ela o ficar rodando pela casa. Muita gente (mas muita mesmo, praticamente todo mundo que conheço) diz que eu judio dela. Ué... mas a gente não trabalha pra comer tb? Ou a comida aparece na nossa porta? E a Suzie simplesmente ama estes momentos comigo. São momentos só nossos (tá, a Lê participa). E outra: não damos comida pra ela na mesa.

Cães nasceram para caminhar: privá-los das caminhadas diárias é privá-los de uma função importante na vida deles. Ande com seu cão todos os dias, ele será grato por isso. Além de tudo, é uma ótima maneira de estreitarmos nosso relacionamento.

Obs.: não podemos esquecer que nossos amigos gatos também precisam caminhar. Ou você acha que ele se sente feliz vivendo trancado dentro de casa (ou apartamento) 24 horas por dia, todos os dias, por toda a vida? Eu enlouqueceria, e você? Mas não é soltar o gato na rua, não: é colocar coleira e guia e dar uma voltinha com ele. Além disso, entretê-lo com brincadeiras (seja sozinho, seja com o dono, preferencialmente) e, porque não, treiná-los para fazerem truques. Hoje em dia os gatos também fazem agility! Mas, isso já é assunto para outro post.

Fontes: http://dog-training.suite101.com/article.cfm/the_importance_of_walking_your_dog

http://www.mchumane.org/theimportanaceofwalkingyourdog.shtml

http://dog-care.suite101.com/article.cfm/the_importance_of_walking_your_dog

http://petdoc.com/story/the-importance-walking-your-dog


quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Piquenique com a família

Nenhum artigo especial...

Hoje vou falar que sábado fizemos um piquenique em família: eu, Suzie, Luis e Letícia. Então, os preparativos para ele começaram desde quinta-feira. Claro, porque não daria pra eu passar a sexta todinha na cozinha, sem dar atenção pras minhas duas meninas.

O dia estava ótimo, passeamos, conheci um casal de amigos virtuais (muito gente boa, Sara e Leo, com sua peluda Meg Meg), comemos bem e passamos momentos bem divertidos, debaixo da sombra de uma árvore e eu vendo alucinada tudo quanto era cachorro passando por perto.

O que foi servido no piquenique? Vou dividir com vocês =) Duas tortas: uma de milho verde e espinafre e outra de cenoura, brócolis e alho-poró; bolo de laranja; frutas diversas; suco; água; e croquetes caninos pra Suzie (lógico, alguém ainda duvida que eu a deixaria de fora?).

Querem as receitas? Vejam aqui.
Obs.: Sara, Leo, adoramos conhecer vocês. E a Meg super simpática!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Suzie e seu Kong

Não é só porque está chovendo (de novo) que a Suzie brinca com o Kong. Mas não são todos os dias que ela o ganha, pra não enjoar do brinquedo. Aliás, o legal é fazer rodízio de brinquedos, assim o cachorro estará sempre motivado a brincar (no momento, a Suzie está toda esparramada no colchão, debaixo do cobertor, sonhando, cansadona e feliz).

Podemos rechear o Kong com várias coisas diferentes (veja aqui). Desta vez fiz uns croquetes vegetarianos pra colocar no Kong (receita aqui). Ela ficou um tempão comendo, lambendo, roendo, jogando, dando patadas até que, enfim, conseguiu comer tudinho, nas duas vezes que dei (demorou cerca de 30 minutos cada vez, deixei meio difícil de propósito mesmo).

Já escrevi bastante sobre o Kong aqui mas, se eu encontrar mais coisas a respeito, com certeza postarei, pois é muito importante oferecermos pros nossos cães uma vida rica. Afinal, nós temos TV, internet, livros e telefone; os cães precisam que nós proporcionemos uma vida com exercícios, contato social, desafios, ou seja, uma vida cheia de estímulos.

Suzie brincando com o Kong
Tentando tirar os palitinhos croc croc do Zé de dentro do Kong

video
Vídeo da Suzie brincando com o Kong e, de repente, olhando sei lá pro quê...

sábado, 15 de agosto de 2009

Quanto de água nossos cães precisam beber?

Difícil de saber. Mas, saiba que a água é vital para a saúde, é essencial para a vida. Ajuda na digestão, carrega e absorve nutrientes, elimina sujeira e controla a temperatura corporal.

Juntos com o oxigênio, a água é o nutriente mais importante para o corpo do cão. Cães podem sobreviver sem comida por dias. O corpo do cão pode perder toda sua gordura e metade de proteína e, ainda assim, sobreviver. Mas quando o cão perde 10% da água corporal, as funções corporais cessam, causando doenças severas. 15% de perda de água o matará.

Então, quanto de água eles precisam? Depende do nível de estresse, de quão ativo é o cão, seu tamanho, idade, saúde e tipo de alimento que come. O clima também é um fator.

Não existe regra. Normalmente, os cães devem tomar água 2,5x mais que comem. Outra informação útil é pelo peso: um cão de 10 quilos ou menos precisa de cerca de 1 xícara de água para cada 2,5kg de peso. Então, um cão com 7,5kg beberia 3 xícaras de água por dia.

Os cães não precisam somente beber sua cota diária de água. Também obtêm a água do alimento. Alimento úmido, ou natural, tem muito mais água que ração seca. Petiscos como maçãs são ótima fonte de água.

Quando há água fresca e limpa disponível, o cão beberá o necessário para sua sobrevivência. Quanto mais fresca a água, mais atraente ela é para o cão. Ou seja: troque a água do seu cão pelo menos 3x ao dia. Eu realmente noto isso: sempre que troco a água da Suzie (várias vezes ao dia), ela bebe mais e com mais vontade. O mesmo acontece com a gente, né?!

Mantenha a tigela do cão sempre limpa também. Se você não beberia dela, seu cão também não. Lave bem a tigela todo santo dia e desinfete-a regularmente.

Quanto melhor for o "sabor" da água, mais seu cão beberá. Use água filtrada. Os cães também preferem água mais fresquinha. Algumas pessoas usam fonte para ajudar o cão a beber mais água. Ela filtra as impurezas, então a água é mais gostosa; e o movimento constante mantém a água fresquinha, do jeito que nossos peludos gostam.

Fonte: www.petplace.com