Todos os Direitos Reservados

Este site é protegido pela Lei dos Direitos Autorais (Lei nº 9610) e toda e qualquer reprodução, parcial ou total, de um texto de minha autoria sem autorização está terminantemente proibida! Portanto, usem suas próprias cabeças para escrever no seu site, ok?! Ou sejam humildes e peçam autorização. Obrigada

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Mitos da Dominância

Este tema vem sendo recorrente nos últimos meses aqui no Brasil, mas já é discutido há muito mais tempo lá fora. Este texto nos mostra alguns dos mitos da dominância.

Mitos da Dominância - Suzanne Hetts


Este é um artigo retirado do blog de Patricia B. McConnell, uma palestra de Suzanne Hetts, na qual ela discursou sobre o que é ou não verdade quando se trata de dominância. Abaixo, leia algumas informações importantes no que se trata sobre os mitos da dominância.

  1. A maioria (todas?) das interações entre os cães são competitivas (passar primeiro na porta, pegar os brinquedos etc). Mito. A verdade é que muitas das interações entre os cães não são competitivas. Um ótimo exemplo é o cabo de guerra. Algumas pessoas dizem que você deve ganhar sempre, ou o cão não o respeitará. Ainda assim, muitos cães adoram brincar de cabo de guerra, por diversão mesmo, e lhe devolvem o brinquedo se este cair. Alguns cães não brincam de cabo de guerra entre si; apenas querem o brinquedo para eles. Conclusão: algumas interações podem ser competitivas, mas muitas não o são.

  2. Dominância é Controle e Obediência. A confusão entre “dominância” e “obediência” é bem difundida, mas NÃO são a mesma coisa. “Dominância” é quem ganha, em uma interação competitiva, algo que ambos desejam, não sobre responder a um comando. Chamar seu cão não tem nada a ver com “dominância social”, o cão vindo quando chamado ou não! A confusão destes dois conceitos causaram muitos problemas no adestramento canino, e também nos cães.

  3. Todos os cães são “alpinistas sociasi” e estão sempre prontos a desafiar os outros (humanos ou cães) no ranking social. Mito. Primeiro, muitas pessoas afirmam que conhecemos pouco sobre “dominância” entre duas espécies, sabemos mais sobre na mesma espécie. Segundo Suzanne, a maioria dos cães domésticos são predispostos a ser subordinados aos humanos. Não é verdade que todos os animais de um grupo social “querem” estar no topo do ranking. O custo de ocupar postos mais elevados é muito alto, e os benefícios de ser subordinado são muitos.

  4. Alguns cães são “dominantes”. Calma aí! Dominância descreve um relacionamento, não personalidade ou indivíduo. Se você tem dois indivíduos e um pedaço de comida, que os dois querem, entre eles, um deles será descrito como “dominante” se ele pegar a comida em 20 de 20 tentativas. Isto é tudo o que o conceito significa, e como é visto cientificamente. O que geralmente não é considerado pelo público em geral e defende “ser dominante” sobre o cão, é que o contexto depende de algumas coisas. O indivíduo A pode pegar o osso todas as vezes, mas o indivíduo B pega o melhor lugar para dormir. A motivação e o contexto são tudo, e o comportamento em um contexto NÃO prediz o comportamento em outro.

Suzanne mostrou que devemos respirar fundo e nos educarmos sobre o que a ciência realmente quer nos dizer sobre relacionamentos sociais.

Fonte: The Other End of the Leash (blog)


Um comentário:

Emmanuelle disse...

Legal!!
Fica aqui um complemento: Meu Pit Bull "Nero" é o único que pode latir no portão para estranhos. Mas minha Heeler "Tequila" é quem morde o calcanhar dele se ele corre, ou tenta interagir com as pessoas... ai, ela quer só para ela.

Emmanuelle Moraes