Todos os Direitos Reservados

Este site é protegido pela Lei dos Direitos Autorais (Lei nº 9610) e toda e qualquer reprodução, parcial ou total, de um texto de minha autoria sem autorização está terminantemente proibida! Portanto, usem suas próprias cabeças para escrever no seu site, ok?! Ou sejam humildes e peçam autorização. Obrigada

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Entrevista: Ana Corina, do Mãe de Cachorro Também é Mãe

Não faz muito tempo "descobri" um site muito bacana, intitulado "Mãe de Cachorro também é Mãe". Ana Corina, dona do site, escreve maravilhosamente bem e nos brinda com artigos que nos fazem pensar, repensar e mudar nossas atitudes para com os animais. Seus textos são para educar a nós, humanos, a sermos os melhores tutores possíveis de um animal de estimação. Eles merecem!


1. Nome, profissão, cidade onde mora. (Não precisa dizer idade, pq sei que pra muita gente isso é muito chato hehehehe. Brincadeiras à parte, idade realmente é irrelevante, né?!) Ana Corina, formada em letras com licenciatura plena em português e inglês pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Moro em Floripa, SC. Profissão? Blogueira, consultora e colunista sem remuneração, hahaha.

2. Você tem cão? Qual? Como ele chegou até você? Tenho o Shoyo, um yorkshire grudado em mim que comprei em 2003. Graças a ele aprendi que existem criadores de fundo de quintal, pessoas inescrupulosas que usam os animais como objetos e luto contra esse tipo de comerciante desde então. E no meu coração, tenho vários outros, principalmente o Sushi, o outro yorkie que eu havia comprado, a Moira, uma mastim napolitano que adotei também em 2003 e o Tóto, meu primeiro amor canino, o melhor cão sem raça definida do mundo, todos amores que já cruzaram a ponte do arco-íris.

3. Como surgiu a ideia de fazer o site "Mãe de Cachorro"? Quando ele surgiu? O blog nasceu em 6 de janeiro de 2007 e na verdade não foi programado... Queria muito deixar um recado no blog de uma amiga que estava no exterior, o que só era possível tendo conta no Blogger. Então criei uma às pressas, porque era uma brincadeira nossa que eu seria a primeira a comentar no blog dela, e na hora de criar a tal conta tive que criar um nome e pensei "Mas se eu fosse falar de algo, sobre o quê seria?". Simples! Mãe de cachorro também é Mãe. No início só fiz a conta no Blogger e larguei parada até porque pensava "Quem vai querer ler isso?", hehe. 

4. O que você pretende com o site? Qual o propósito dele? (Tipo, conscientizar as pessoas do que, falar sobre qual assunto, essas coisas) Ao efetivamente começar a postar eu pretendia apenas desabafar, defender que temos o direito de nos sentir mães e pais de nossos animais de estimação sem sermos vistos como loucos ou pessoas que não conseguem conviver em sociedade. Depois o blog cresceu, fui aprendendo sobre guarda responsável etc. e hoje é meu projeto voluntário de educação.

5. Dos assuntos que você aborda, qual(is) você acha o(s) mais polêmico(s) e por quê? Mais polêmicos? Hummm, acho que dá para dizer que são os que vão contra o que todo mundo está acostumado sobre o tratamento de cães e gatos, como oferecer alimentação natural ao invés de ração seca, não entupir os animais de remédios desnecessários e de substâncias tóxicas (como anti-pulgas etc.) e agora essa questão de alertar as pessoas para o perigo real do excesso de vacinação. É muito complicado viver em um país onde não há ainda uma tradição de estudar por conta própria, de questionar o que nos é imposto. A propaganda dos grandes laboratórios e dos fabricantes de rações é absurdamente eficaz e focada nos veterinários. Quem sofre com isso são os animais... E as pessoas também, porque não percebem que são tão cobaias quanto eles...

6. Você escreve várias séries, como a filhotes, guia de raças etc. Qual delas te dá mais prazer? Qual a mais trabalhosa? Qual a de maior utilidade? Essas séries são novidade lá no blog e tratam de assuntos que percebo ainda existir uma necessidade de mais esclarecimento e informação. As duas têm sido um grande aprendizado e na verdade o "prazer" que tenho é saber que meus leitores estão ficando mais bem informados, com mais base para melhor tratar os peludos, sabe? A série Filhotes é a mais trabalhosa porque tenho que ler um capítulo inteiro do livro, traduzir, adaptar, resumir... É tempo pra caramba! Acho que utilidade não tenho como mensurar... As duas são úteis à medida que as pessoas deixarem de botar um filhote (ou um cão/gato, na verdade) em suas vidas sem pensar na responsabilidade que isto demanda e implica e também escolher cães levando em conta as características de temperamento deles e delas. Se todo mundo fizesse isso, o impacto na redução do abandono seria imenso.

7. Existem projetos novos por vir? O que você espera do futuro do site (e dos cães, por que não?). Então... Na verdade eu preciso capitalizar o blog para que possa continuar com ele. Estou trabalhando absurdamente, 7 dias por semana, sem parar há mais de um ano. Essa consultoria gratuita que presto aos leitores e o contato com eles nas redes sociais demanda um tempo imenso, mas não quero deixar de fazer porque são pessoas que estou ajudando, são incontáveis cães e gatos castrados, vários doados/adotados, veterinários e outros profissionais indicados a quem precisa achar um profissional que faça preços sociais ou que seja realmente bom e ético etc., tudo através do blog e seus desdobramentos na internet, além dos e-mails trocados diretamente com os leitores. Só que infelizmente eu não nasci rica e nem casei com alguém que tenha condições de me sustentar 100%, então estou criando novos produtos para poder continuar com meu trabalho voluntário e também para continuar ajudando financeiramente os animais como faço há alguns anos.  Quanto ao futuro do Mãe de Cachorro... Espero que ele cresça e apareça cada vez mais, que eventualmente transforme-se em um livro (que me falta tempo para escrever, mas...) e que atinja o maior número de pessoas possível, porque educação é o que vai efetivamente contribuir para o que espero ser um futuro melhor, mais justo e de mais respeito e bem-estar para cães, gatos e todos os animais. Acredito muito que cada pessoa tem seu tempo de evolução. Hoje ela gosta apenas do seu cachorro, amanhã começa a olhar para o animal de rua, daqui a um tempo passa a refletir no que põe no prato e vê que não há muita diferença entre seu peludo e o pobre do boizinho que virou vitela e por aí o mundo evolui. Mas se as pessoas ao ler o blog já passarem a  ter um animal de estimação apenas se tiverem condições de mantê-lo como precisa e merece, se alimentarem melhor seus animais, os castrarem e não os vacinarem em excesso, já está mais do que bom! Beijo grande e espero que seus leitores gostem da entrevista!
 

Ana, muito obrigada pela entrevista! Com certeza os leitores vão gostar e aproveitar as dicas maravilhosas do seu site! Parabéns!

4 comentários:

Adote Gaspar disse...

Meninas adorei, beijosss p vcs ....

Feijão disse...

É a Ana é maravilhosa, competente e uma "fada" para ajudar os peludinhos, mas realmente não é justo que ela trabalhe tanto sem receber por isso. Ana Corina, experimente abrir uma conta exclusiva para seu blog e veremos no que vai dar. Espero que, uma vez por semana, você possa ir para um "spa" passar o dia relaxando. hehehe Abração e parabéns.

Tem cachorro na cozinha disse...

Meninas, parabens. Amei o post :)

Ana, quanto a "Então... Na verdade eu preciso capitalizar o blog para que possa continuar com ele. Estou trabalhando absurdamente, ", porque vc n coloca adsense no seu blog? Com o tanto de leitor que vc tem, dá para descolar uma graninha ;)

Bjos

Ana Corina disse...

Oi, queridas, desculpem, só vi os comentários hoje! Obrigadíssima pelo carinho!

Então, nunca quis anunciar no blog via AdSense ou outros porque teria que ficar muito de olho nos anúncios pra não ter nenhum de canis "especializados em 40 raças", de venda de filhotes e de produtos que não recomendo.

Sou pró-alimentação natural, anti-excesso de vacinação e anti-consumo desnecessário, daí complica, né? kkk

Mas agora tem a Loja Virtual, com produtos para humanos, que é minha tentativa (em sociedade) de me capitalizar.

Beijo grande!