Todos os Direitos Reservados

Este site é protegido pela Lei dos Direitos Autorais (Lei nº 9610) e toda e qualquer reprodução, parcial ou total, de um texto de minha autoria sem autorização está terminantemente proibida! Portanto, usem suas próprias cabeças para escrever no seu site, ok?! Ou sejam humildes e peçam autorização. Obrigada

domingo, 25 de setembro de 2011

Como modificar um comportamento? - Parte I


Lendo o livro da Karen Pryor, Don't Shoot The Dog, resolvi compartilhar algo importante. Nossos cães sempre têm algum comportamento indesejado que queremos mudar, seja latir excessivamente, pular nas visitas, roer os móveis ou puxar durante os passeios.

Mas vocês sabem que há oito maneiras de conseguirmos isso? Sim, oito. Algumas usam métodos negativos; outras, os positivos (os quais eu uso).

Os oito métodos são:

  1. Mate o cão: funciona. Você não vai mais lidar com nenhum comportamento ruim, nem com o cão.
  2. Punição: o favorito das pessoas, mesmo não funcionando na imensa maioria das vezes.
  3. Reforço Negativo: retira-se algo desagradável quando um comportamento desejado acontece.
  4. Extinção: o comportamento some por si só.
  5. Ensinar um comportamento incompatível: muito útil.
  6. Colocar o comportamento sob comando: aí você nunca dá esse comando.
  7. Moldar a ausência”: recompensa qualquer coisa que não seja o comportamento indesejado.
  8. Mude a motivação: o mais gentil de todos os métodos.

    Método 1 – Mate o cão 
    Sempre funciona. Nunca mais você terá problema com o este cão em particular. Claro que não é só matar... doar também faz parte deste método. Com pessoas, pode ser prisão, divórcio, sair de casa... Lembrando: este método não ensina nada, o cachorro nem sabe o que está acontecendo. Já deu pra perceber que não é o ideal?

EXEMPLOS DO MÉTODO 1
Este método acaba com o problema, mas pode não ser adequado em todas as ocasiões.
COMPORTAMENTO
O QUE FAZER
Colega de quarto deixa a roupa suja por todo lugar.
Mude de colega de quarto.
O cachorro late a noite inteira no quintal.
Mate-o, doe-o, leve-o ao veterinário para retirar suas cordas vocais (é crime, tá?!)
As crianças fazem barulho demais no carro.
Faça-as voltarem a pé ou de ônibus para casa. Peça pra outra pessoa dirigir.
A mulher chega em casa todo dia de mau humor.
Se divorcie.
Comete erros quando joga tênis.
Pare de jogar.
Empregado preguiçoso.
Mande-o embora.
Odeia escrever bilhetes de agradecimento.
Pare. Quem sabe as pessoas também parem de lhe mandar presentes.
O gato sobe na mesa.
Deixe-o do lado de fora ou doe-o.
O motorista de ônibus rabugento é rude com você e você fica nervoso.
Saia do ônibus e pegue o próximo.
Seu filho, que já morava sozinho, quer voltar a morar com você.
Diga não e não ceda.

Método 2 - Punição
É o método preferido da humanidade. Quando o comportamento está errado, logo pensamos em uma punição. Bater na criança, no cão, sustar o cheque, processar a empresa etc. Mas a punição é um jeito meio desastrado de mudar um comportamento. Na verdade, na maioria das vezes a punição não funciona nada.

EXEMPLOS DO MÉTODO 2
Raramente são eficazes e perdem o efeito com a repetição, mas são muito usadas.
COMPORTAMENTO
O QUE FAZER
Colega de quarto deixa a roupa suja por todo lugar.
Brigue e grite. Ameace confiscar suas roupas e jogá-las fora (ou de fato fazê-lo).
O cachorro late a noite inteira no quintal.
Vá pro quintal e bata nele, ou jogue um jato de mangueira (O cão ficará tão feliz em vê-lo que “perdoará” a punição).
As crianças fazem barulho demais no carro.
Grite com elas. As ameace. Se vire e dê uns tapas nelas.
A mulher chega em casa todo dia de mau humor.
Comece uma briga. Queime o jantar. Fique amuado, brigue e chore.
Comete erros quando joga tênis.
Amaldiçoe, fique irritado, se critique toda vez que errar.
Empregado preguiçoso.
Brigue e critique, de preferência na frente de todo mundo. Ameace não pagá-lo (ou o faz mesmo).
Odeia escrever bilhetes de agradecimento.
Se puna por ficar adiando a tarefa e se sinta culpado ao mesmo tempo.
O gato sobe na mesa.
O derrube e/ou o espante para fora da cozinha.
O motorista de ônibus rabugento é rude com você e você fica nervoso.
Pegue o número do motorista, reclame na companhia e tente fazer com que ele seja transferido, repreendido ou mandado embora.
Seu filho, que já morava sozinho, quer voltar a morar com você.
Deixe-o morar com você, mas torne a vida dele um inferno.

Método 3 – Reforço Negativo
O Reforço Negativo é qualquer evento ou estímulo desagradável, não importa a intensidade, que pode acabar ou ser evitado com a mudança de comportamento. Uma vaca, no campo com uma cerca elétrica, toca o nariz na cerca, sente o choque e se afasta, o que para o choque. Ela aprende a evitar o choque ao não tocar a cerca. Quando toca a cerca é punida, então o comportamento de evitar a cerca foi reforçado por meio de um reforço negativo, ao invés de um positivo.

EXEMPLOS DO MÉTODO 3
O Reforço Negativo pode ser eficaz e uma boa escolha em algumas situações.

COMPORTAMENTO
O QUE FAZER
Colega de quarto deixa a roupa suja por todo lugar.
Desconecte a TV ou atrase o jantar até que ele arrume as roupas (cesse o reforço negativo quando ele fizer o que você queria; recompense todo esforço, por menor que seja).
O cachorro late a noite inteira no quintal.
Acenda uma luz forte na casinha dele toda vez que ele latir. Apague-a quando ele parar de latir.
As crianças fazem barulho demais no carro.
Quando o nível de decibéis atingir o limite, estacione o carro. Leia um livro. Ignore as perguntas sobre você ter parado – é barulho também. Volte a dirigir quando o silêncio reinar.
A mulher chega em casa todo dia de mau humor.
Vire de costas ou saia do ambiente por um tempinho quando o tom da voz dela for desagradável. Volte e dê-lhe atenção quando o tom de voz for normal ou ela estiver em silêncio.
Comete erros quando joga tênis.
Contrate um técnico ou um espectador para lhe corrigir verbalmente quando você errar (Ah-Ah ou Não!). Desenvolva outro balanço que pare com a correção.
Empregado preguiçoso.
Aumente a supervisão e repreenda toda vez que o trabalho falhar.
Odeia escrever bilhetes de agradecimento.
O Reforço Negativo aparece automaticamente nos amigos e pessoas que amamos. Tia Alice sempre faz você saber o quão preocupada ela está quando você não pega o cachecol e sua família sempre te lembra que você deve escrever para ela. A informação será enviada com insinuações aversivas.
O gato sobe na mesa.
Coloque fita adesiva, o lado que cola virado para cima, na mesa da cozinha.
O motorista de ônibus rabugento é rude com você e você fica nervoso.
Fique na porta, ou perto do motorista, assim ele não consegue dirigir até que você saia dali. Saia quando ele parar de falar, mesmo que por um instantinho.
Seu filho, que já morava sozinho, quer voltar a morar com você.
Deixe-o voltar, mas cobre-o, exatamente como faria se fosse cobrar aluguel de um estranho, comida e qualquer serviço adicional, como lavar a roupa e cuidar das crianças. Faça valer a pena, financeiramente, que ele saia da sua casa.

Método 4 - Extinção
Se você treinou um rato para pressionar uma alavanca repetidamente para obter comida e, de repente, você desliga a máquina que lhe dá comida, o rato pressionará a alavanca muitas vezes no começo e, depois, cada vezes menos, até ele finalmente desistir. O comportamento se “extinguiu”.

Extinção é um termo usado em laboratórios de psicologia. Se refere não à extinção de um animal, mas de um comportamento, que acaba por si só, por falta de reforço.

Comportamentos que não dão resultado – nem bons, nem maus, só a falta deles – provavelmente acabarão. Isso não quer dizer que possamos simplesmente ignorar um comportamento e ele acabará.

EXEMPLOS DO MÉTODO 4
Não é útil quando queremos acabar com um padrão de comportamento bem aprendido e auto recompensador. Mas ele é bom para choramingos, mal-humor ou provocação. Mesmo crianças pequenas podem aprender que podem fazer as mais velhas pararem de provocá-las simplesmente não reagindo.

COMPORTAMENTO
O QUE FAZER
Colega de quarto deixa a roupa suja por todo lugar.
Espere que ele cresça.
O cachorro late a noite inteira no quintal.
Este comportamento é auto-recompensador e dificilmente acaba espontaneamente.
As crianças fazem barulho demais no carro.
Uma certa quantidade de barulho é natural e inofensiva. Deixe: uma hora eles cansarão.
A mulher chega em casa todo dia de mau humor.
Não reaja: logo esse mau humor todo acaba.
Comete erros quando joga tênis.
Tente outros golpes, passadas e por aí vai e tente deixar aquele erro específico morrer ao não se concentrar mais nele.
Empregado preguiçoso.
Se o mau comportamento for uma maneira de chamar atenção, não dê atenção; mas também pode ser auto-recompensador.
Odeia escrever bilhetes de agradecimento.
Este comportamento normalmente acaba com a idade. A vida se torna tão cheia de tarefas mais trabalhosas, como pagar as contas, que os bilhetes de agradecimento se tornam uma atividade relaxante.
O gato sobe na mesa.
Ignore o comportamento. Ele não vai acabar, mas você terá sucesso em acabar com suas própria objeções ao fato de ter pelo de gato na comida.
O motorista de ônibus rabugento é rude com você e você fica nervoso.
Ignore o motorista, pague a passagem e esqueça isso.
Seu filho, que já morava sozinho, quer voltar a morar com você.
Aceite o fato como temporário e que seu filho sairá da sua casa assim que sua situação financeira melhorar ou que a crise passe.

Logo postarei a segunda parte, com os últimos quatro métodos. Lembrando que este é um trecho do livro Don't Shoot the Dog, da Karen Pryor, que foi traduzido e adaptado por mim. Ou seja: reproduzi-lo é proibido; divulgá-lo é legal!
Leia também "Como modificar um comportamento? - Parte II"

4 comentários:

Karine disse...

Eu sempre uso o reforço positivo, tento ensinar a Sofia (Quem é a Sofia? http://blogdakarinelima.blogspot.com/2011/08/sofia.html) o que deve e não fazer. Simplesmente no momento que ela faz coisas erradas eu paro de fazer carinho nela e saio, ai só depois de um tempo volto!

Bjs

Franciele disse...

q ótimo texto hein, obrigada por dividir conosco, beijossss

Fúlvia e Suzie disse...

Que legal, Karine! A Sofia é muito linda e, com certeza, deve adorar aprender com você!!

Parabéns!!!

Fúlvia e Suzie disse...

Oi Fran!

Ah, eu não podia deixar de compartilhar o texto. É bom demais mesmo! E, se ajudar os cães a terem uma vida melhor, já é ótimo!

Beijão!