Todos os Direitos Reservados

Este site é protegido pela Lei dos Direitos Autorais (Lei nº 9610) e toda e qualquer reprodução, parcial ou total, de um texto de minha autoria sem autorização está terminantemente proibida! Portanto, usem suas próprias cabeças para escrever no seu site, ok?! Ou sejam humildes e peçam autorização. Obrigada

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Lidando com a Ansiedade de Separação

Há pouco mais de um mês nos mudamos pra uma casa. Com isso, todos teríamos de nos adaptar, inclusive a Suzie, já que para ela, esta não era a casa dela. Para os cães, isso é normal: eles não generalizam as coisas (ex.: sentar na cozinha não é igual sentar no parque no meio de um monte de gente e seus cães), então, não generalizam que aquele lugar onde eles estão é também a casa deles. Mudar implica nisso: temos que ter paciência com os peludos e ajudá-los a passar por essa fase, e não ficar nervosos.

Resultado: quando saíamos, por menor que fosse a saída, ela chorava, uivava, coisa que nunca havia feito no apartamento (ela destruía coisas, mas não fazia barulhos, coisa que foi contornada não muito dificilmente, bastou doses extras de exercícios e treinos de saída). Aqui, comecei a (re)treiná-la para se adaptar a ficar sozinha numa boa.

Comecei com os passeios (com a mudança e tudo que ela implica fiquei dois dias sem sair com ela na rua, só fazendo-a correr e brincar no quintal), de 40 minutos, intercalados com as brincadeiras, corridas e treinos no quintal. Ela ficava bem cansada e saíamos. Mas ainda assim, chorava. Não aceitava nem os petiscos, chegava a tremer quando nos via nos arrumando pra sair. O mais interessante é que, quando o Luis saía e, logo depois saíamos a Lê e eu, ela não chorava.

Além disso tudo, dessenssibilizei nossas saídas, fazendo o que chamam "falsas saídas". Colocava o sapato pra escovar os dentes; chacoalhava as chaves enquanto almoçava; punha a bolsa e ia lavar louça; vestia minhas calças jeans pra brincar no quintal; etc. Assim, ela encararia essas pequenas coisas como algo que "mamãe sempre faz, não somente quando vai sair sem mim".

Para me ajudar ainda mais no processo, dei (estou dando) florais para ela, um para ansiedade e outro para síndrome do abandono. Juntando a terapia floral, os treinos (pequenas saídas, voltando quando ela estava quietinha, recompensa etc), falsas saídas e (muito) exercício, em cerca de 10 dias ela já estava 100%. Exatamente como em Sampa. Não chora, não uiva e, quando chegamos em casa, vem nos receber na porta com uma cara de sono (depois de dormir na nossa cama) mas, ainda assim, totalmente amalucada, pulando feito cabritinha e indo deitar no pufe em seguida (como se não soubéssemos que ela estava na nossa cama... e que ela PODE ficar lá).

Meus ajudantes nesta empreitada (curta): livro Don't Leave Me, de Nicole Wilde e os próprios florais.

Agora, fica uma dúvida: isso foi obra minha ou a Suzie que é espetacular mesmo? Fico com a segunda opção =P

7 comentários:

Cassia disse...

Oi, Fúlvia! Acho que você teve muita participação neste processo! Paciência e persistência também! Parabéns! Um abraço!

Fúlvia e Suzie disse...

Oi Cassia, tudo bom?

Obrigada! Mas eu ainda acho que a Suzie é muuuuuito esperta, aprende muito rápido mesmo.

Beijos!

Carol disse...

Oi Fúlvia! Adorei seu texto, me deu muitas dicas valiosas, vou procurar coloca-las em pratica! A Suzie parece ser muito esperta mesmo! A minha sofre também nossa... Certa vez cheguei em casa e ela tinha arranhado tanto a porta que machucou a patinha, ate sangrou! Faço algumas coisas mas ainda não consegui com que ela ficasse tranquila quando saimos, quem sabe com essas novas dicas. Gostaria de saber quais florais vc dá para a Suzie, e onde posso compra-los. Obrigada e parabéns pela dedicação! Carol

Fúlvia e Suzie disse...

Oi Carol, tudo bom?

Tadinha dela, Carol!!! Imagino como você deve ter ficado ao ver sua peluda com as patinhas sangrando... não é fácil mesmo. Ao mesmo tempo, não dá pra ficarmos presos em casa, né?! Espero que estas dicas te ajudem mesmo. Pelo menos foi o que funcionou comigo.

Quanto aos florais, é da Bio Florais, comprei em farmácia de manipulação mesmo. Como a Suzie tinha costume de ficar sozinha sem chorar/destruir lá no apto (ela sabia ficar calma sozinha), percebi que a ansiedade aqui era muito ligada à mudança mesmo. Então, pude comprar dois florais:

- Uso humano: ansiedade
- Uso canino: síndrome de abandono

Só que, em casos mais sérios, é bom usar o Rescue também. Este ela usou no caso de depressão e, em uma semana, voltou ao normal.

Beijos e boa sorte!
Ful

Carla machado Albertini disse...

Olá que ótimo relato, muito bacana mesmo! Adotei uma cachorrinha a 1 mês, ela foi achada em um lixão, têm síndrome de abandono, estou muito preocupada, quando saio ela ñ para de chorar e arranhar a porta e mora em apartamento, fico com vergonha do incômodo para os vizinhos. Suas dicas são muito valiosas. Me diga o nome certinho desses florais e como dar certinho pra ela? Vai me ajudar muito. Ela têm 5 meses e é Srd. Beijos e muitooo obrigada por compartilhar. :)

Carla machado Albertini disse...

Olá que ótimo relato, muito bacana mesmo! Adotei uma cachorrinha a 1 mês, ela foi achada em um lixão, têm síndrome de abandono, estou muito preocupada, quando saio ela ñ para de chorar e arranhar a porta e mora em apartamento, fico com vergonha do incômodo para os vizinhos. Suas dicas são muito valiosas. Me diga o nome certinho desses florais e como dar certinho pra ela? Vai me ajudar muito. Ela têm 5 meses e é Srd. Beijos e muitooo obrigada por compartilhar. :)

Fúlvia e Suzie disse...

Oi Carla, tudo bom?

Eu comprei florais da Bio Floral, o "ansiedade" e o "síndrome de abandono" O primeiro é humano, o segundo é canino ;)

Beijos!